Domingo, 20 Outubro 2019
UNRIC logo - Portuguese

A ONU na sua língua

UNESCO lança Ano Internacional de Aproximação das Culturas

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) lançou, hoje, o Ano Internacional de Aproximação das Culturas, reunindo, pela primeira vez, o grupo de alto nível sobre a paz e o diálogo entre culturas.

Este grupo de alto nível, que é composto por personalidades eminentes do mundo político, intelectual e religioso, foi criado, no início de Fevereiro, pela Directora-Geral da UNESCO, Irina Bokova, para reforçar a tolerância, a reconciliação e o equilíbrio no mundo. A UNESCO foi designada pela Assembleia Geral das Nações Unidas para desempenhar um papel de chefe de fila na comemoração deste Ano Internacional de Aproximação das Culturas.

“Vivemos num mundo marcado, cada vez mais, por uma interdependência crescente em todos os domínios da actividade humana”, declarou Irina Bokova. “Paralelamente, com a globalização, a incompreensão e a desconfiança aumentaram, nestes últimos anos. A crise económica, ambiental e também ética veio aumentar ainda mais esse sentimento de insegurança e de desconfiança”.

Perante esta realidade, a UNESCO deseja instaurar “um novo humanismo”, para salvaguardar a coesão social e preservar a paz. O objectivo é promover a diversidade de culturas “que englobam não só as artes e as letras mas também os modos de vida, os sistemas de valores, as tradições e as crenças”, sublinhou Irina Bokova.

Foram definidos quatro eixos estratégicos de acção. Tratar-se-á de promover um conhecimento mútuo da diversidade cultural, étnica, linguística e religiosa, elaborar um quadro de valores comuns, reforçar uma educação de qualidade e competências interculturais e incitar ao diálogo em prol do desenvolvimento sustentável.

Irina Bokova lançou um apelo à mobilização de todos os parceiros da UNESCO, a fim de participarem, a nível local, nacional, regional e internacional, no Ano Internacional de Aproximação das Culturas.

“Perante os desafios de um mundo cada vez mais interligado, a nossa tarefa comum é erguer pontes sólidas e solidárias entre todas as culturas, a fim de criar uma nova ética universal de vida em comum”, concluiu a Directora-Geral da UNESCO.

Os membros do grupo de alto nível sobre a paz e o diálogo entre as culturas presentes na reunião de 18 de Fevereiro de 2010 foram os seguintes:

-- Kjell Magne Bondevik (Noruega), antigo Primeiro-Ministro da Noruega; fundador e presidente do Centro para a Paz e os Direitos humanos, de Oslo

-- Lydia Cacho (México), jornalista, Prémio Mundial da Liberdade de Imprensa 2008

-- Mustafa Ceric (Bósnia-Herzegovina), Grande Mufti da Bósnia-Herzegovina

-- May Chidiac (Líbano), Prémio Mundial da Liberdade de Imprensa 2006

-- Souleymane Cissé (Mali), cineasta

-- Esther Coopersmith (Estados Unidos), Prémio da Paz das Nações Unidas (1984) e Embaixadora de Boa Vontade da UNESCO para o diálogo intercultural (2009)

-- Vigdís Finnbogadóttir (Islândia), antiga Presidente da Islândia e Embaixadora de Boa Vontade da UNESCO (1998)

-- Monsenhor Francesco Follo, em nome de Monsenhor Gianfranco Ravasi (Vaticano), Presidente do Conselho Pontifício para a Cultura

-- Mohamed Ibrahim (Sudão), fundador e presidente da Fundação Mo Ibrahim

-- Attiyah Inayatullah (Paquistão), Membro da Assembleia Nacional do Paquistão e antiga Ministra para o Desenvolvimento Social das Mulheres do Paquistão

-- Marc Ladreit de Lacharrière (França), Presidente da Fondation Culture & Diversité ; Embaixador de Boa Vontade da UNESCO (2009)

-- Monsenhor Laurent Monsengwo Pasinya (República Democrática do Congo), Arcebispo de Kinshasa

-- Ilber Ortayli (Turquia), Presidente do Museu do Palácio Topkapi

-- Tavivat Puntarigvavat (Tailândia), Director do Instituto de Investigação e Desenvolvimento da Universidade Mundial do Budismo

-- Hegumen Philip Riabykh (Federação Russa), Vice-presidente, Departamento de Negócios Estrangeiros do Patriarcado de Moscovo

-- Yazid Sabeg (França), Comissário para a Diversidade e a Igualdade de Oportunidades; Embaixador de Boa Vontade da UNESCO (2010)

-- Wole Soyinka (Nigéria), escritor, Prémio Nobel da Literatura (1986)

-- Simone Veil (França), antiga Presidente do Parlamento Europeu, Presidente da Fondation pour la mémoire de la Shoah.

(Baseado numa notícia divulgada pelo Centro de Notícias da ONU a 18/02/2010)

 

Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária