Sábado, 20 Outubro 2018
UNRIC logo - Portuguese

A ONU na sua língua

A Vice-Secretária-geral das Nações Unidas apela ao avanço no cumprimento da igualdade de género

Queen Mathilde Amina Mohammed #EDD18 #SpotlightEndViolence #UNRICFoto ONU: Vice-Secretária-geral das Nações Unidas, Amina J. Mohamed, e Sua Majestade Rainha Mathilde dos Belgas

“O Mundo não tem outra escolha senão fazer esforços para alcançar a igualdade de género, de modo a cumprir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”, afirmou Amina J. Mohamed, Vice - Secretária-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), na cerimónia de abertura dos Dias Europeus do Desenvolvimento, que decorreu entre os dias 5 e 6 de junho de 2018.

Segundo a Vice - Secretária-geral da ONU “ a igualdade de género é crucial para todos os países…para todas as sociedades”. “É um pré-requisito para o desenvolvimento sustentável”, acrescentando que não se deve tolerar à violência contra as mulheres.

Ao longo de dois dias mais de 8 mil participantes, incluindo decisores políticos, altos funcionários da União Europeia e das Nações Unidas, sociedade civil, bem como Suas Majestades Rainha Mathilde dos Belgas, Rainha Letizia de Espanha e Sua Alteza Real Maria, Princesa da Dinamarca refletiram sobre o tema deste ano do fórum: "Mulheres e Meninas na Vanguarda do Desenvolvimento Sustentável: Empoderar, Proteger, Investir". Todas as principais preocupações das mulheres na perspetiva do desenvolvimento sustentável foram levantadas em dezenas de seminários e painéis de discussão, bem como em exposições sobre temas relacionados a garantia da integridade física e psicológica das mulheres, a promoção dos seus direitos económicos e sociais e a sua capacitação.

un dsg signing human rigths wall edd18Foto ONU: Vice-Secretária-geral das Nações Unidas, Amina J. Mohamed, deixa mensagem sobre a não-violência contra as mulheres

As Nações Unidas e a União Europeia promoveram ainda a Spotlight Initiative, que visa eliminar qualquer tipo de violência sobre as mulheres e as raparigas, tendo em vista a igualdade de género e o cumprimento da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. No seu discurso, a Vice-Secretária-Geral das Nações Unidas afirmou que mais mulheres do que homens vivem na extrema pobreza cujas condições terríveis são exacerbadas pela violência contra as mulheres.

A portuguesa Catarina Furtado, embaixadora da Boa-Vontade da Agência das Nações Unidas para o Fundo da População (UNFPA), desde 2000, também participou do fórum no Painel de Alto Nível “Livre de Violência- Livre para mudar o mundo. Do momento à ação: incentivar e congregar os esforços para o fim da violência com base no género e práticas nefastas". Na sua intervenção afirmou que “Os números intoleráveis da Mutilação Genital Feminina (MGF) e dos casamentos infantis descem exponencialmente em lugares onde esta questão é debatida em governos, comunidades, famílias… onde estas normas sociais são confrontadas de aldeia em aldeia”, dando, a título de exemplo, a campanha que juntou os esforços de Portugal e Guiné-Bissau para pôr fim à violência das práticas nefastas da MGF e dos casamentos infantis em todo mundo, restaurando a vida de jovens mulheres.

Catarina Furtado Interview EDD18 Spotlight StudioCatarina Furtado EDD18 SpotlightStudio

Foto ONU: Catarina Furtado, embaixadora da Boa-Vontade da Agência das Nações Unidas para o Fundo da População (UNFPA)

Durante os Dias Europeus do Desenvolvimento foi dada uma forte enfâse na necessidade de inclusão da juventude na discussão sobre o desenvolvimento, a fim de envolver novas vozes e atores emergentes. Na discussão final, Jayathma Wickramanayake, Enviada do Secretário-Geral da ONU para a Juventude, negou a afirmação de que os jovens são pouco participativos politicamente. “Semelhante a todos presentes aqui, os jovens estão a procura de formas alternativas de participação. Se prestarmos atenção as marchas das mulheres em todo mundo, por exemplo durante a Primavera Árabe, em que as jovens mulheres saíram às ruas, exigindo que suas vozes fossem ouvidas, ou, a marcha pelas vidas negras nos Estados Unidos verificamos que é desta forma que a nossa geração escolheu participar politicamente na vida”.

Sua Alteza Real, Princesa Maria da Dinamarca, concluiu a cerimónia de encerramento dos Dias Europeus do Desenvolvimento com um apelo apaixonado pelo futuro do nosso planeta. “Por muito tempo vivemos com o excesso de consumo, o crescimento descontrolado e o esgotamento dos recursos do planeta. Então, o mundo, nós as pessoas deste mundo, temos que conjugar esforços para cumprir as promessas que foram feitas para proteger o planeta, remediar os nossos erros e assegurar o futuro do planeta que nos dá a vida. E as meninas e as mulheres também são fundamentais nesse exercício”, afirmou.

EDDs18 banner 430pxFoto ONU: Dias Europeus do Desenvolvimento realizado nos dias 5 e 6 de junho de 2018

A União Europeia organiza os Dias Europeus do Desenvolvimento, todos anos, desde 2006, como forma de proporcionar à comunidade internacional de desenvolvimento a oportunidade de “compartilhar ideias” e criar parcerias para resolver os “desafios mais urgentes do mundo”.