Sábado, 20 Outubro 2018
UNRIC logo - Portuguese

A ONU na sua língua

No Dia Mundial do Ambiente, ONU pede fim de poluição plástica

plasticoFoto ONU - Martine Perret

Com ONU News 

O Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado a 5 de junho, tem como mensagem central a poluição plástica principalmente nos oceanos. Segundo dados da agência ONU Meio Ambiente, todos os anos, 8 milhões de toneladas de plástico acabam no mar e se nada for feito, até 2050, os oceanos terão mais plástico do que peixes. Para evitar tal cenário, a ONU Ambiente lançou a campanha “Acabe com a Poluição Plástica” ou #BeatPlasticPollution, na sigla em inglês.

A ONU News conversou com a coordenadora do Dia do Meio Ambiente no Brasil e também da campanha Mares Limpos. A partir de Brasília, Fernanda Daltro explicou  que o plástico é um dos maiores desafios ambientais dos nosso tempos: “O plástico tornou-se num material presente em absolutamente todos os lugares do planeta, inclusive nas regiões mais remotas. E esta poluição tem uma relação direta com a sociedade de consumo em que vivemos hoje. Este volume de lixo está a misturar-se com a cadeia alimentar. Todas as espécies nos oceanos acabam por ter contacto e alimentam-se de plástico de uma forma ou de outra.”  

Ainda no âmbito destas celebrações, o Comité Olímpico Internacional, COI,  anunciou uma parceria com a ONU para combater o plástico descartável. Atletas olímpicos de várias modalidades incluindo triatlo, surf, e rugby comprometeram-se a reduzir o consumo de utensílios de plástico. A cada minuto, 1 milhão de garrafas plásticas são consumidas no mundo. Já a quantidade de sacos de plástico ascende aos 5 biliões por ano.

De acordo com o diretor-executivo da ONU Meio Ambiente, Erik Solheim, já existe a consciência da situação alarmante, mas os impactos de longo prazo desta crise ambiental sobre a saúde ainda são pouco conhecidos. Solheim comparou esta falta de informação ao pouco conhecimento que antes se tinha em relação ao tabaco, ao pó de amianto e ao mercúrio.  

Ainda na entrevista à ONU News, Fernanda Daltro da ONU Meio Ambiente, no Brasil, destacou a importância da mudança na cabeça dos consumidores: “É muito importante entender que nós, como consumidores, temos um papel ativo e simples no combate à poluição plástica. E este papel passa por fazer escolhas melhores. Não apenas em relação ao material, em deixar de usar o plástico descartável, em todas as situações, mas simplesmente abolir das nossas vidas alguns itens que não necessitamos. É o caso das palhinhas, por exemplo, que não chega é reciclável e a sua utilização é relativamente desnecessário na maior parte das situações. ”

Entre as recomendações da ONU Ambiente para acabar com a poluição plástica estão ações simples que podem ser adotadas no dia a dia.

Entre elas, levar a próprio saco de plásticoao supermercado, recusar palhinhas e talheres de plástico, preferir garrafas de água reutilizáveis, apanhar o plástico que encontrar na rua e apoiar políticas governamentais contra o uso único dos sacos de plástico.