Domingo, 16 Junho 2019
UNRIC logo - Portuguese

A ONU na sua língua

“Energia Sustentável Para Todos” : 3 metas para 15 anos

161731Antecedendo as discussões para a criação de uma nova agenda global de desenvolvimento e de um novo acordo significativo sobre o clima, as Nações Unidas estabeleceram 2015 como um ano crucial de viragem para o desenvolvimento sustentável. No mês de maio decorre a iniciativa “Energia Sustentável Para Todos” - campanha integrada num plano de ação global com a missão de promover o desenvolvimento sustentável ao longo deste ano.

Atualmente o mundo enfrenta dois desafios interligados ao nível das questões energéticas. O primeiro tem a ver com acesso a energia e erradicação da pobreza: cerca de 1,2 mil milhões de pessoas em todo o mundo, quase uma em cada seis, vivem sem acesso à eletricidade. Quase o dobro, 2,8 mil milhões, dependem de madeira, carvão e dejetos de animais para cozinhar e para aquecimento, resultando em impactos graves a nível de saúde devido aos efeitos de fumos interiores.

O segundo desafio tem a ver com a abundância e  uso eficiente da energia, sendo que os principais problemas atuais são o desperdício e poluição. A emissão de dióxido de carbono e outros gazes poluentes estão a contribuir para mudanças no clima da Terra, que por sua vez estão a causar danos gerais na vida dos indivíduos, comunidades, infraestrutura e instituições. As alterações climáticas ameaçam a segurança alimentar e abastecimento da água de centenas de milhões de pessoas em todo o mundo.

A chave para enfrentar estes desafios é garantir o acesso a uma Energia Sustentável Para Todos- uma energia acessível, limpa, mais eficiente e de baixo custo, especialmente para os menos desfavorecidos.

Três metas até 2030 e um Fórum

Para alcançar este objetivo, a Iniciativa “Energia Para Todos” estabeleceu três metas interligadas a serem alcançadas até 2030:

1-     Garantir um acesso universal a serviços de energia modernos

2-     Duplicar a taxa global de melhorias de eficiência energética

3-     Duplicar a partilha de energias renováveis na combinação global energética

Na ONU, governos já identificaram a temática como um dos novos objetivos de desenvolvimento sustentáveis a serem adotados em setembro de 2015.

O Segundo Fórum das Nações Unidas para uma Energia Sustentável Para Todos irá debruçar-se sobre o financiamento, o lançamento de uma nova plataforma de compromissos e o Primeiro Diálogo Global de Ministros sobre o tema.

O Fórum irá decorrer de 17 a 21 de maio e terá como objetivos avaliar o progresso da Iniciativa; inspirar ações e soluções através da partilha de conhecimentos, inovação e histórias de sucesso; apresentar ideias e mecanismos para catalisar financiamento à escala necessária para alcançar a meta de uma energia sustentável para todos e fazer crescer o número de partes interessadas em fazer avançar a Década das Nações Unidas da Energia Sustentável Para Todos.

Alguns factos globais:

Neutrais:

  • Entre 1990 e 2010, o número de pessoas com acesso a eletricidade aumentou em 1,7 mil milhões, enquanto o número de pessoas com acesso a combustíveis não sólidos para cozinhar aumentou em cerca de 1,6 mil milhões. No entanto esta expansão foi compensada por um crescimento global populacional de 1,6 mil milhões no mesmo período
  • A quantidade de energia produzida através de fontes renováveis utilizada para eletricidade, aquecimento e transportes expandiu-se de forma rápida desde 1990 (e particularmente desde 2000), com uma taxa de crescimento anual composta (CARG) de 1,5 por cento entre 1990 e 2000 e 2,4 por cento entre 2000 e 2010
  • Em 2011, as fontes de energia renovável correspondiam a mais de 20 por cento da eletricidade produzida a nível global, 25 por cento da capacidade global de produção energética, sendo que mais de metade da capacidade nova de produção de energia foi adicionada no mesmo ano
  • Mais de 80 por cento de toda eletricidade renovável produzida globalmente era hídrica.
  • Adotar normas de rentabilidade de custo para um número de tecnologias poderia, até 2030, reduzir o consumo projetado de eletricidade por edifícios e industria até 14 por cento, 1300 centrais de energia de tamanho médio

Negativos:

  • Uma em cada cinco pessoas não tem acesso a eletricidade
  • 1,2 mil milhões de pessoas – quase a população da Índia- não tem acesso a eletricidade, 2,8 mil milhões dependem de madeira ou outros tipos de biomassa para cozinhar e aquecer as suas casas
  • 3 mil milhões de pessoas dependem de madeira, carvão, e dejetos animais para cozinhar e aquecimento
  • Cada ano, 4,3 mil milhões de mortes prematuras, nomeadamente de mulheres e crianças, estão relacionados com os fumos tóxicos de combustíveis como a madeira, resíduos animais e carvão
  • A energia é um fator que contribui para as alterações climáticas, correspondendo a 60 por cento do total global de emissões de gazes de efeito de estufa

05 de maio de 2015, Editado por UNRIC