Segunda, 25 Março 2019
UNRIC logo - Portuguese

A ONU na sua língua

Aves migratórias ameaçadas por mudanças ambientais, adverte PNUA


O número de aves migratórias – considerado um dos melhores indicadores do estado da biodiversidade mundial – está a diminuir significativamente, devido às mudanças ambientais, advertiu hoje o Programa das Nações Unidas para o Ambiente (PNUA).

Ao assinalar o Dia Mundial das Aves Migratórias, o PNUA disse que aquela diminuição se está a registar relativamente a muitas espécies em todos os principais corredores de migração que as aves utilizam para percorrer milhares de quilómetros entre os locais de nidificação e aqueles onde passam o Inverno.

"As aves migratórias são das criaturas mais extraordinárias do planeta e, em muitos países, a observação de aves é uma actividade de lazer e turismo economicamente importante", disse Achim Steiner, Director Executivo do PNUA.

"Mas as aves migratórias são mais do que isso. A sua dependência de habitats e ecossistemas saudáveis significa que são importantes indicadores que permitem determinar se a comunidade internacional está verdadeiramente a tentar corrigir o declínio e erosão do património natural do planeta".

O Dia Mundial, subordinado ao tema "Aves Migratórias – Embaixadoras da Biodiversidade", será assinalado no fim-de-semana de 10 e 11 de Maio com concertos, filmes e outros eventos públicos destinados a dar destaque à ameaça crescente a que estão sujeitas as aves migratórias e a biodiversidade mundial.

Embora as razões da diminuição do número de aves migratórias sejam complexas e digam respeito especificamente a determinadas espécies, o declínio global é um reflexo do problema ambiental mais geral associado à perda mundial de habitats e biodiversidade.

O PNUA refere que 41% das 522 populações de aves aquáticas migratórias que percorrem itinerários que ligam a África e a Eurásia estão a registar diminuições, e existem informações de que o número de aves canoras migratórias que utilizam os mesmos corredores também está a diminuir.

Entretanto, o número de aves das florestas boreais do Hemisfério Norte que migram do Norte do Canadá para a América do Sul apresenta uma diminuição acentuada porque estas aves estão a perder os locais de nidificação nas florestas.

Sendo vulneráveis às mudanças ambientais, as aves migratórias dependem de locais onde param para descansar e para se alimentarem durante as suas longas viagens, mas estes locais estão ameaçados ou a desaparecer em consequência do desenvolvimento agrícola, urbano, industrial e de infra-estruturas.

As alterações climáticas também desempenham um papel importante, já que a subida das temperaturas mundiais dão origem a desertos maiores e a tempestades mais frequentes, o que pode conduzir à subida dos níveis do mar e impedir a migração.

(Baseado numa notícia produzida pelo Centro de Notícias da ONU a 8/05/2008)