Alguns Dados Sucintos: Os Rostos da Pobreza

Mais de mil milhões de pessoas no mundo vivem com menos de um dólar por dia. Mais 2,7 mil milhões tentam sobreviver com menos de dois dólares por dia. A pobreza no mundo em desenvolvimento vai, no entanto, mais além da privação de rendimento. Significa ter de caminhar mais de 1,5 quilómetros todos os dias, apenas para ir buscar água e lenha; significa sofrer de doenças que, nos países ricos, foram erradicadas há décadas. Todos os anos, morrem onze milhões de crianças, a maioria das quais com menos de cinco anos; e mais de seis milhões morrem devido a causas totalmente evitáveis como a malária, a diarreia e a pneumonia.

Em alguns países extremamente pobres, menos de metade das crianças frequentam o ensino primário e uma percentagem inferior a 20% passa para o ensino secundário. No mundo inteiro, 114 milhões de crianças não recebem instrução sequer ao nível básico e 584 milhões de mulheres são analfabetas.

Apresentamos em seguida alguns dados elementares que revelam as causas e expressões da pobreza que afecta mais de um terço da população mundial.

Saúde

  • Todos os anos, seis milhões de crianças morrem de malnutrição antes de fazer cinco anos;
  • Mais de 50% dos africanos sofrem de doenças de vector hídrico como a cólera e a diarreia infantil.
  • Todos os dias, o VIH/SIDA mata 6000 pessoas e 8200 pessoas são infectadas por esse vírus mortal.
  • Em cada 30 segundos que passam, uma criança africana morre devido à malária – ou seja, morrem por ano mais de um milhão de crianças.
  • Todos os anos, aproximadamente 300 a 500 milhões de pessoas são infectas pela malária. Aproximadamente três milhões morrem da doença.
  • A tuberculose é a principal causa de morte relacionada com a SIDA e, em algumas zonas de África, 75% das pessoas seropositivas também sofrem de tuberculose.

Fome

  • Mais de 800 milhões de pessoas se deitam todas as noites com fome; dentre elas 300 milhões são crianças.
  • Desses 300 milhões de crianças, apenas 8% são vítimas de fome ou de outras situações de emergência. Mais de 90% sofrem de malnutrição prolongada e de um défice de micronutrientes.
  • De 3,6 em 3,6 segundos, mais uma pessoa morre de fome; na grande maioria trata-se de crianças com menos de 5 anos.


Água

  • Mais de 2,6 mil milhões de pessoas - mais de 40% da população mundial – carecem de saneamento básico e mais de mil milhões continuam a usar fontes de água imprópria para o consumo.
  • Quatro em cada dez pessoas no mundo carecem de acesso a uma simples latrina.
  • Cinco milhões de pessoas, na sua maioria crianças, morrem todos os anos de doenças de vector hídrico.


Agricultura

  • Em 1969, a África era um exportador líquido de alimentos; hoje, o continente importa um terço dos cereais de que necessita.
  • Mais de 40% dos Africanos não têm capacidade de obter diariamente os alimentos suficientes.
  • A decrescente fertilidade dos solos, a sua degradação e a pandemia da SIDA levaram a uma diminuição da produção de alimentos per capita da ordem dos 23%, nos últimos 25 anos, apesar de a população ter aumentado muito significativamente.
  • O agricultor africano paga pelos fertilizantes convencionais entre três e seis vezes mais do que o seu custo no mercado mundial.

O efeito devastador da pobreza nas mulheres

  • Mais de 80% dos agricultores de África são mulheres.
  • Mais de 40% das mulheres africanas carecem de acesso ao ensino básico.
  • Se uma rapariga receber instrução durante seis anos ou mais, a sua utilização, quando adulta, dos cuidados pré e pós-natais e a taxa de sobrevivência ao parto aumentam significativamente.
  • As mães que possuem instrução vacinam os filhos com uma frequência 50% superior à das mães não instruídas.
  • A SIDA propaga-se com o dobro da rapidez entre as raparigas não instruídas, em comparação com aquelas que têm alguma escolaridade.
  • Os filhos de uma mulher que frequentou o ensino primário durante cinco anos apresentam uma taxa de sobrevivência 40% superior aos filhos das mulheres sem qualquer instrução.
  • Uma mulher da África a sul do Sara tem 1 possibilidade em 16 de morrer durante a gravidez ou o parto. Na América do Norte, o risco de é 1 em cada 3700 casos.
  • Em cada minuto, uma mulher morre no mundo durante a gravidez ou o parto. Isto significa que, no total, morrem 1400 mulheres por dia – isto é, 529 000 por ano – devido a causas relacionadas com a gravidez.
  • Quase metade dos partos, nos países em desenvolvimento, não são assistidos por um técnico de saúde..


* * *

Para mais informações, é favor visitar o website do Projecto do Milénio (www.unmillenniumproject.org) ou contactar Erin Trowbridge pelo telefone (+1-212-906 6821) ou por correio electrónico ([email protected]).