Quinta, 18 Setembro 2014
UNRIC logo - Portuguese

A ONU na sua língua

Ban Ki-moon: Conferência de Copenhaga foi um êxito

O Secretário-Geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, declarou, hoje, que a Conferência de Copenhaga sobre as Alterações Climáticas fora “um êxito”.

 

Falando aos jornalistas antes de uma reunião do Conselho de Segurança em que participava, Ban Ki-moon considerou que, entre as decisões tomadas na capital dinamarquesa, o Acordo de Copenhaga constituía “um passo em frente significativo”. O Secretário-Geral disse estar consciente de “que o resultado da Cimeira de Copenhaga bem como o Acordo de Copenhaga não haviam ido tão longe como muitos esperavam, mas representam um começo, um começo essencial. Demos um passo na boa direcção”.

 

Lembrou que os participantes se haviam comprometido a manter a subida das temperaturas abaixo de dois graus Celsius em relação à era pré-industrial. Previram também reavaliar esses compromissos em função das previsões da ciência. O Painel Intergovernamental sobre Alterações Climáticas (IPCC) prevê publicar o seu próximo relatório, o quinto, em 2014.

 

Ban Ki-moon lembrou que o Acordo de Copenhaga fixava objectivos a médio prazo no que se refere às acções de atenuação a levar a cabo tanto pelos países desenvolvidos como pelos países em desenvolvimento, o que constitui “também um avanço”. Além disso, os Estados reconheceram a importância de agir com vista a reduzir as emissões provenientes da desflorestação e da degradação das florestas. “Isso significa”, observou, “que tomámos finalmente em conta quase um quinto das emissões mundiais”.

 

Por outro lado, o Acordo prevê a prestação de um apoio global aos mais vulneráveis, para que possam fazer frente às alterações climáticas. Acresce que se apoia em meios financeiros, tendo sido prometidos 30 mil milhões de dólares até 2012 e estando previstos 100 mil milhões de dólares até 2020.

 

Ban Ki-moon exortou todos os Estados-membros a agirem de modo que o Fundo Verde para o Clima, de Copenhaga, “se torne plenamente operacional logo que possível”. Exortou-os também a assinar formalmente o Acordo de Copenhaga, afirmando o seu apoio à Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas. “Quanto mais depressa tivermos as assinaturas, maior será o ímpeto conseguido”.

 

O Secretário-Geral considerou que os compromissos de Copenhaga correspondiam, em grande parte, aos critérios de êxito que referira quando da Cimeira sobre alterações climáticas, em Setembro passado, em Nova Iorque. É claro, reconheceu, que não correspondem aos mínimos definidos pelos cientistas para manter a subida das temperaturas nos dois graus. “Mas, sem os compromissos do Acordo de Copenhaga, enfrentaríamos a perspectiva real de ver as temperaturas subirem até seis graus”, observou.

 

Ban Ki-moon expressou a sua intenção de, nos próximos meses, trabalhar com os dirigentes mundiais para “aumentar o seu nível de ambição. Vou instá-los a porem em prática os seus compromissos, o mais rapidamente possível. E vou incentivá-los a implicarem-se directamente, para concluírem um tratado sobre as alterações climáticas juridicamente vinculativo, em 2010”, acrescentou. “A sua implicação concreta contribuiu para que se concluísse o Acordo de Copenhaga”. Isso mostra que estão “dispostos a agir”.

 

Ban Ki-moon sublinhou, por fim, a necessidade de retirar as lições da conferência: “Vamos reflectir sobre o modo de melhorar o processo de negociação”. Anunciou que, no início do ano, iria criar “um painel de alto nível sobre o desenvolvimento e as alterações climáticas para examinar estas questões de uma maneira estratégica”.

 

Em resposta a uma pergunta, disse estar convicto de que será possível colher os frutos do Acordo de Copenhaga nas futuras negociações sobre a sua implementação.

 

 

(Baseado numa notícia divulgada pelo Centro de Notícias da ONU a 21/12/2009)

 

 

A semana em imagens

A emergência humanitária e de segurança no Sudão do Sul; a continuidade das atrocidades na Síria e as ações da ONU; a entrevista com a chefe de direitos humanos da ONU, Navi Pillay, que está deixando o cargo; o perigo representado pelos novos “cigarros eletrônicos”; e a discussão global, em Samoa, sobre desenvolvimento sustentável nos Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento – estes são os destaques do resumo semanal da ONU em imagens. Legendado pela ONU Brasil.

Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária

O Centro Regional de Informação das Nações Unidas para a Europa Ocidental (UNRIC), sedeado em Bruxelas, presta informação sobre as actividades da ONU nos países da região, incluindo Portugal. Põe à disposição do público os principais relatórios da ONU, documentos, publicações, fichas informativas, comunicados de imprensa e notícias, em várias línguas, nomeadamente o português.