Sábado, 19 Abril 2014
UNRIC logo - Portuguese

A ONU na sua língua

O Provedor de Justiça Europeu: melhorar o diálogo com os cidadãos

O Provedor de Justiça Europeu: melhorar o diálogo com os cidadãos

Para ter a certeza de que as suas instituições e administração funcionam correctamente e não atropelam os direitos dos cidadãos, a União Europeia criou o gabinete do Provedor de Justiça Europeu. P. Nikiforos Diamandouros, o actual Provedor de Justiça Europeu, explicou que tipo de violações dos direitos humanos investiga, como...

Continuar
O movimento “Y’en a marre” – Basta

O movimento “Y’en a marre” – Basta

Apesar do Senegal não ser um país de grandes dimensões nem possuir uma localização estratégica, tem tido, no entanto, um papel importante na política africana desde a sua independência. O Senegal, 95%...

Continuar
Legislar em grupo ou Crowd legislation, à maneira nórdica

Legislar em grupo ou Crowd legislation, à maneira nórdica

Desde inícios de Março, os finlandeses possuem uma nova forma de participação a nível do Estado - uma iniciativa de cidadania. A iniciativa pode ser organizada por um ou vários...

Continuar
A primeira constituição do mundo a ser escrita no Facebook

A primeira constituição do mundo a ser escrita no Facebook

A primeira constituição crowdsourced do mundo será adoptada pelo parlamento islandês em inícios do próximo ano, depois de dois anos de um processo inclusivo e participativo. A Islândia tornou-se num Estado...

Continuar
Quando os protestos sociais e a cidadania activa conquistam as paredes das cidades

Quando os protestos sociais e a cidadania activa conquistam as paredes das cidades

Com o aprofundar da crise económica e o debate público cada vez mais aceso sobre possíveis soluções, as paredes das cidades de Portugal são novamente invadidas por pinturas e graffiti...

Continuar
E depois do Occupy…

E depois do Occupy…

A estudante norueguesa Ragnhild Freng Dale foi apanhada pelos ventos democráticos que atravessaram o ano passado a cidade de Londres, onde estudava. Se quisermos usar as assembleias animadas do movimento...

Continuar

Legislar em grupo ou Crowd legislation, à maneira nórdica

citizens-initiative-Finland webDesde inícios de Março, os finlandeses possuem uma nova forma de participação a nível do Estado - uma iniciativa de cidadania. A iniciativa pode ser organizada por um ou vários cidadãos finlandeses com direito de voto. Se conseguirem recolher 50 000 assinaturas em apoio à iniciativa num prazo de seis meses, o parlamento é obrigado a considerar a iniciativa de cidadania.

A primeira questão a unir os finlandeses para além das diferenças políticas, geográficas e sociais é o problema da indústria das peles. A iniciativa “Finlândia sem criação de animais para produção de peles”, promovida por quatro organizações de defesa dos direitos dos animais e do ambiente, foi assinada por quase 70 000 apoiantes e a sua mensagem é clara: as pessoas querem proibir a criação de animais para a produção de peles na Finlândia.

“É um momento histórico para a democracia finlandesa. Esperamos que o parlamento leve em consideração esta iniciativa de cidadania, porque é a primeira deste tipo. É evidente que a criação de animais para a produção de peles vai acabar por ser mais cedo ou mais tarde banida da Finlândia,” disse Leo Stranius, director da organização ambiental A Liga Finlandesa pela Natureza.

Apesar dos promotores e apoiantes estarem entusiasmados com a sua bem sucedida campanha, não é muito provável que o parlamento aprove uma lei a proibir a indústria das peles. O jornal finlandês Huvudsatdsbladet perguntou a todos os 200 deputados do parlamento finlandês qual seria a sua intenção de voto nesta questão se a votação tivesse lugar hoje: 102 disseram que votariam contra a proibição, somente 13 a apoiavam, 14 ainda não tinham decidido e 71 optaram por não responder.

Para apoiar novas iniciativas de cidadania, os finlandeses lançaram um projecto de legislação colectiva, O Ministério Aberto. Na página Web do ministério todas as pessoas podem partilhar as suas ideias e propor novas leis. As ideias vão desde o estabelecimento de um rendimento mínimo, à legalização da canábis e à alteração da tributação. De momento, mesmo a ideias mais populares são apoiadas por somente algumas centenas de pessoas, por isso vai levar algum tempo até que outra iniciativa de cidadania seja apresentada ao parlamento. No entanto, o encorajamento das pessoas a participar já fortaleceu a democracia e o que funciona na Finlândia pode funcionar também noutros países. 


 Dia em Memória das Vítimas do Genocídio do Ruanda

Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária