Segunda, 08 Fevereiro 2016
UNRIC logo - Portuguese

A ONU na sua língua

UNMIS condena ataque à Missão da União Africana no Sudão

A Missão das Nações Unidas no Sudão (UNMIS) condenou energicamente o ataque de um grupo armado não identificado à força da União Africana, que provocou, ontem, a morte de dois soldados, na região de Kuma, no Norte do Darfur.


A UNMIS instou todas as partes envolvidas no conflito no Darfur a respeitarem a neutralidade e a imparcialidade da Missão da União Africana (AMIS) e recordou que qualquer agressão ao pessoal enviado pela UA para essa região do Sudão constitui uma grave violação do direito internacional e dos acordos de cessar-fogo, para além de ir contra as resoluções do Conselho de Segurança.


A ONU apoiou a decisão, tomada pela AMIS, de levar a cabo uma investigação a fundo, a fim de identificar os responsáveis pelo ataque e de os apresentar à justiça.


(Baseado numa notícia produzida pelo Centro de Notícias da ONU a 21/08/2006)


Secretário-Geral apela ao Irão para que responda afirmativamente à proposta europeia para resolução da crise nuclear

oi com prazer que tomei conhecimento de que a República Islâmica do Irão irá responder na Terça-feira,  22 de Agosto de 2006, à proposta da UE 3 (França, Alemanha e Reino Unido) +3 (China, Federação Russa e Estados Unidos) sobre uma solução global para a crise nuclear. Apelo ao Governo iraniano para que aproveite esta oportunidade histórica. Confio em que a resposta iraniana seja positiva e que serão lançadas as bases de um acordo final.


Perante a grave crise no Médio Oriente, acredito que os progressos sobre a questão nuclear são fundamentais para a estabilidade não só da região mas também do próprio sistema internacional. É tempo de avançar na direcção correcta. Estou convencido de que está aberta uma nova via que poderá ser um marco nos esforços internacionais em prol da não-proliferação.


A proposta da UE3 mais 3, reafirma o direito do Irão a desenvolver a energia nuclear para fins pacíficos. É importante que o Irão garanta o carácter pacífico das suas intenções, o que permitirá reconstruir a confiança em torno do seu programa nuclear, como a AIEA e o Conselho de Segurança têm pedido.


(Fonte: comunicado de Imprensa SG/SM/10604 de 21-08-2006)


Secretário-Geral profundamente preocupado com a violação israelita da cessação das hostilidades, a 19 de Agosto

O Secretário-Geral está profundamente preocupado com a violação, por parte de Israel, da cessação das hostilidades definida na Resolução 1701 (2006) do Conselho de Segurança. O incidente envolveu um raide, no sábado, no Leste do Líbano.


Segundo a UNIFIL (Força Interina das Nações Unidas no Líbano), alguns aviões israelitas violaram também o espaço aéreo libanês.


Estas violações da Resolução 1701 do Conselho de Segurança fazem perigar a frágil calma, que foi conseguida após árduas negociações, e abalam a autoridade do Governo libanês. O Secretário-Geral pede a todas as partes que cumpram escrupulosamente o embargo de armas, dêem provas da máxima contenção, evitem provocações e dêem mostras de sentido da responsabilidade na aplicação da resolução 1701.


O Secretário-Geral falou, hoje, com os Primeiros-Ministros de Israel e do Líbano sobre este assunto.


Solicitou igualmente que sejam apresentados ao Conselho de Segurança relatórios diários sobre o cumprimento da cessação das hostilidades pelas partes.
 
(Fonte: Comunicado de Imprensa SG/SM/10602 de 21/08/2006)


Secretário-geral saúda o anúncio dos resultados provisórios das eleições na República Democrática do Congo, pedindo que sejam respeitados os resultados finais.

O Secretário-Geral saúda o anúncio, feito hoje pela Comissão Eleitoral Independente, dos resultados provisórios das eleições presidenciais que se realizaram ao mesmo tempo que as eleições legislativas, na República Democrática do Congo, a 30 de Julho. Estas eleições constituíram um marco histórico no processo de paz do país.


O Secretário-Geral pede insistentemente aos partidos e candidatos congoleses que recorram à lei eleitoral para a resolução de quaisquer diferendos relacionados com o processo eleitoral. Apela também a que aceitem e respeitem os resultados finais das eleições, num espírito de paz e reconciliação, quando forem anunciados pela Comissão Eleitoral Independente.


Estas eleições constituem uma etapa fundamental de um longo processo de consolidação da paz, no decurso do qual há ainda que enfrentar muitos desafios. A ONU permanece profundamente empenhada em apoiar o povo congolês nos seus esforços para assegurar uma estabilidade duradoura, a democracia e o desenvolvimento económico sustentável, em todo o país.


(Fonte: Comunicado de Imprensa SG/SM/10603 de 21/08/2006)


UNESCO envia para o Líbano uma equipa de avaliação para salvar património cultural

Uma equipa de quatro peritos da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) partiu, hoje, para o Líbano com o objectivo de determinar a melhor forma de ajudar a recuperar o património cultural afectado pelo conflito armado do último mês.


O grupo irá, também, avaliar as necessidades em matéria de educação e apoio psicológico às crianças e professores, a fim de que superem os traumas causados pela guerra.


Para além de reunir com o Primeiro-Ministro Fouad Siniora e com o Ministro da Educação e Cultura, Khaled Kabbani, os peritos visitarão os sítios classificados como património histórico da humanidade, como Byblos, afectado pelo derramamento de petróleo provocado por um bombardeamento israelita.


O governo do Líbano apresentará um plano de recuperação aos doadores internacionais, durante uma conferência que se realizará na Suécia, no próximo dia 31 de Agosto.



(Baseado numa notícia produzida pelo Centro de Notícias da ONU a 21/08/2006)


Sustainable Development Goals LOGO PT vertical 250

Sustainable Development Goals POSTER 250px

Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária

O Centro Regional de Informação das Nações Unidas para a Europa Ocidental (UNRIC), sedeado em Bruxelas, presta informação sobre as actividades da ONU nos países da região, incluindo Portugal. Põe à disposição do público os principais relatórios da ONU, documentos, publicações, fichas informativas, comunicados de imprensa e notícias, em várias línguas, nomeadamente o português.