Segunda, 02 Maio 2016
UNRIC logo - Portuguese

A ONU na sua língua

Declaração do Secretário-Geral sobre a nomeação do Oitavo Secretário-Geral

Permiti que apresente as minhas calorosas felicitações ao meu sucessor, Senhor Ban Ki-moon, e que felicite também todos os Estados-membros por esta escolha.


Senhor Ban, apraz-me comprovar que a vossa eleição tenha sido rápida e decorrido sem problemas. É assim que desejaríamos que fossem eleitos todos os secretários-gerais.


Diria que tudo correu bem porque os Estados-membros estavam decididos a  obter rapidamente uma solução e porque o candidato escolhido possui competências excepcionais.


Senhor Ban, penso que todos os presentes reconhecem a dimensão da vossa experiência, a amplitude das vossas relações e a vossa capacidade de cooperar eficazmente ao nível mais elevado.


Mas eu, que vos conheço e convosco trabalho há vários anos, penso que os outros em breve descobrirão outra coisa, se é que não descobriram já. Descobrirão que o novo Secretário-Geral é um homem notavelmente atento às sensibilidades dos países e dos povos de todos os continentes. Descobrirão que o homem que em breve dirigirá a única Organização universal do mundo dotado de uma visão realmente mundial.


Senhor Ban, a vossa rápida eleição dar-nos-á uma vantagem de tempo para assegurarmos uma transição tão suave quanto possível. Lembro-me de, no início deste processo, ter dito para mim próprio: “oxalá a Assembleia Geral e o Conselho de Segurança não façam ao meu sucessor o que me fizeram a mim”. Fui eleito numa Sexta-feira, 13 de Dezembro.


Permitir-me-ei dar-vos apenas um único conselho para o momento em que me ireis suceder: procurai tirar o máximo partido dos talentos excepcionais que encontrareis no pessoal desta Organização. A dedicação dos membros do seu pessoal é o bem mais precioso da ONU e foi a fonte mais segura da minha força como Secretário-Geral.


Há mais de 50 anos, o primeiro Secretário-Geral das Nações Unidas, Trygve Lie, utilizou as palavras seguintes para saudar o seu sucessor, Dag Hammarskjöld: « Ides assumir a tarefa mais impossível do mundo”. Talvez seja verdade, mas acrescentaria: é também a melhor missão do mundo.


Teremos tempo de vos desejar o maior êxito, quando se aproximar a data prevista para a transferência de poderes, no fim do ano. Até lá, os meus colegas e eu próprio faremos tudo o que for possível para vos ajudar a preparar para a missão que vos espera.


No momento em que vos preparais para me suceder no cargo, desejo-vos força e coragem. Precisareis delas, tal como precisareis também de um saudável sentido de humor, coisa que vos não falta, eu sei. Assim, não vos esqueçais de vos divertir ao longo do percurso. Desejo-vos a maior sorte possível.


Muito obrigado.


(Fonte: comunicado de imprensa SG/SM/10683 de 13/10/2006)


Secretário-Geral nomeia equipa de alto nível para prestar assistência a processo eleitoral em Timor-Leste

No âmbito da assistência que está a ser prestada pelas Nações Unidas às eleições presidenciais e legislativas que deverão realizar-se em Timor-Leste em 2007, o Secretário-Geral nomeou uma equipa de peritos eleitorais de alto nível, encarregada de verificar uma boa condução de todas as fases do processo eleitoral.


Os membros da equipa são a Sra. Lucinda Almeida (Portugal), o Sr. Reginal Austin (Zimbabwe) e o Sr. Michael Maley (Austrália). O seu trabalho será independente da Missão Integrada das Nações Unidas em Timor Leste, devendo as suas conclusões e recomendações ser apresentadas directamente ao Secretário-Geral e às autoridades de Timor-Leste.


O Secretário-Geral considera as eleições do próximo ano como um passo importante na via para a paz e estabilidade em Timor-Leste e reafirma a determinação das Nações Unidas em fazer aquilo que lhes compete no que se refere a apoiar um processo eleitoral credível e transparente.


(Fonte: comunicado de imprensa SG/SM/10682 de 13/10/2006)


Exposição “Cartooning for Peace” abre na Sede da ONU a 16 de Outubro

Na segunda-feira, dia 16 de Outubro, pelas 18h 15m, terá lugar na Entrada dos Visitantes, na Sede da ONU, em Nova Iorque, uma exposição de cartoons de 18 artistas vindos do mundo inteiro. A exposição, denominada Cartooning for Peace (Cartoons para a Paz) é apresentada em conjugação com o quinto seminário da série “Desaprender a Intolerância”.


A cólera e a divisão geradas pela publicação de caricaturas do profeta Maomé, no início de 2006, fizeram ressaltar, simultaneamente, o poder dessa arte e a responsabilidade dos seus representantes.


A inspiração para este projecto veio de um conceito original do famoso cartoonista francês Plantu, cujos trabalhos foram publicados durante décadas em Le Monde, um dos principais jornais franceses.


A exposição foi concebida e preparada por Plantu, o Centro Regional de Informação das Nações Unidas para a Europa Ocidental e o Salon international du dessin de presse et d’humour de Saint-Juste-le-Martel, em coordenação com a Divisão de Produtos e Serviços destinados ao público do Departamento de Informação Pública e com o apoio do Claus M. Halle Institute for Global Learning, Emory University, Atlanta.


O Ministério da Cultura e da Comunicação de França patrocina a exposição. A UNESCO e o jornal Le Monde são também parceiros.


Para visitar a exposição em linha, visite www.cartooningforpeace.org.
 
(Fonte: Nota no. 6041 de 12/10/2006)


Exposição “Cartooning for Peace” abre na Sede da ONU a 16 de Outubro

Na segunda-feira, dia 16 de Outubro, pelas 18h 15m, terá lugar na Entrada dos Visitantes, na Sede da ONU, em Nova Iorque, a abertura de uma exposição de cartoons de 18 artistas vindos do mundo inteiro. A exposição, denominada Cartooning for Peace (Cartoons para a Paz) é apresentada em conjugação com o quinto seminário da série “Desaprender a Intolerância”.


A cólera e a divisão geradas pela publicação de caricaturas do profeta Maomé, no início de 2006, fizeram ressaltar, simultaneamente, o poder dessa arte e a responsabilidade dos seus representantes.


A inspiração para este projecto veio de um conceito original do famoso cartoonista francês Plantu, cujos trabalhos foram publicados durante décadas em Le Monde, um dos principais jornais franceses.


A exposição foi concebida e preparada por Plantu, o Centro Regional de Informação das Nações Unidas para a Europa Ocidental e o Salon international du dessin de presse et d’humour de Saint-Juste-le-Martel, em coordenação com a Divisão de Produtos e Serviços destinados ao público do Departamento de Informação Pública e com o apoio do Claus M. Halle Institute for Global Learning, Emory University, Atlanta.


O Ministério da Cultura e da Comunicação de França patrocina a exposição. A UNESCO e o jornal Le Monde são também parceiros.


Para visitar a exposição em linha, visite www.cartooningforpeace.org.
 
(Fonte: Nota no. 6041 de 12/10/2006)


Segundo Assessor do Secretário-Geral para África, paz continua a ser o principal desafio para o desenvolvimento

Apresentando um retrato do desenvolvimento africano nos últimos cinco anos que inclui aspectos positivos e negativos, o Assessor Especial do Secretário-Geral para África, Legwaila Joseph Legwaila, avisou que o grande desafio para todos os Africanos é criar condições para uma paz duradoura ou correr o risco de todos os progressos alcançados em domínios como infra-estruturas, educação, saúde, no contexto da estratégia comum de desenvolvimento da região, se perderem.


A Nova Iniciativa para o Desenvolvimento de África (NEPAD) foi adoptada pelos dirigentes do continente há cinco anos, disse o Assessor Especial do Secretário-Geral aos jornalistas, salientando que se tratava de uma “iniciativa africana” que define uma visão comum do desenvolvimento económico e social.


“Se não houver paz no continente, os projectos no âmbito da NEPAD não produzirão resultados e, por conseguinte, a luta dos Africanos deve consistir em velar por criar condições para que a paz prevaleça no continente; claro que se a paz prevalecer, o desenvolvimento aumentará”, disse o Sr. Legwaila.


Reconheceu que as pessoas se mostravam, muitas vezes, cépticas em relação ao avanço da paz em África, mas apontou vários países, incluindo a Libéria e a Serra Leoa, que mostram o rumo nesse campo, sublinhando, ao mesmo tempo, a necessidade de lhes prestar apoio.


 “Estão a ser feitos progressos, embora algumas pessoas fiquem confusas devido ao facto de, na sua maioria, as forças de manutenção da paz da ONU se encontrarem em África, por ser em África que se desenrola a maior parte dos conflitos”. “As pessoas pensam que não há progressos. Mas há. O Burundi – o processo de paz teve êxito, embora existam algumas pequenas dificuldades... — e temos a Libéria, a Serra Leoa. São países que puseram fim a um conflito com a ajuda da ONU.”


No mesmo dia, a Assembleia Geral começou a debater o último relatório do Secretário-Geral sobre a NEPAD e o apoio internacional a esta estratégia. A Presidente da Assembleia, Haya Rashed Al Khalifa (Barém) reconheceu também os avanços conseguidos, ao mesmo tempo que pediu mais esforços.


“É animador ver que o relatório reconhece progressos nas áreas prioritárias da NEPAD, que vão da infra-estrutura às tecnologias da informação e comunicação, passando pela educação e saúde, o ambiente, a agricultura, a ciência e a tecnologia, a integração das questões de género nas políticas públicas e o Mecanismo de Avaliação Intra-africano”, disse Presidente à Assembleia.


“O relatório traduz o reconhecimento dos progressos alcançados desde o ano passado, mas também sublinha a importância da adopção de medidas destinadas a acelerar a implementação da estratégia”.


(Baseado numa notícia produzida pelo Centro de Notícias da ONU a 12/10/2006)


Sustainable Development Goals LOGO PT vertical 250

Sustainable Development Goals POSTER 250px

Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária

O Centro Regional de Informação das Nações Unidas para a Europa Ocidental (UNRIC), sedeado em Bruxelas, presta informação sobre as actividades da ONU nos países da região, incluindo Portugal. Põe à disposição do público os principais relatórios da ONU, documentos, publicações, fichas informativas, comunicados de imprensa e notícias, em várias línguas, nomeadamente o português.