Sábado, 07 Março 2015
UNRIC logo - Portuguese

A ONU na sua língua

Quinta Comissão aprova resolução para o plano de renovação da infra-estrutura da ONU

24 Abril de 2006 – A Quinta Comissão da Assembleia Geral, responsável pelo orçamento da ONU, adoptou hoje uma resolução pela qual autoriza o Secretário-Geral da Organização a assumir compromissos no valor de mais de 100 milhões de dólares, para melhorar a infra-estrutura da Sede das Nações Unidas, em Nova Iorque.

O chamado Plano-quadro de equipamento implica também o arrendamento de um imóvel para instalar o pessoal das Nações Unidas, enquanto se procede à renovação do edifício que actualmente ocupa.

O documento pede igualmente ao Secretário-Geral que apresente uma análise exaustiva das possibilidades de construir um novo edifício no jardim norte do actual imóvel.


(Baseado numa notícia produzida pelo Centro de Notícias da ONU a 24/04/2006).


Conselho de Segurança denuncia “deterioração perigosa” do conflito israelo-palestiniano

24 de Abril – O Coordenador Especial das Nações Unidas para o Processo de Paz no Médio Oriente, Álvaro de Soto, chamou a atenção para um possível e perigoso agravamento do conflito entre israelitas e palestinianos.

Num relatório apresentado ao Conselho de Segurança, Álvaro de Soto descreveu o quadro que surgiu quando o Hamas assumiu o governo da Autoridade Nacional Palestiniana.

O diplomata referiu-se à última onda de violência, às tensões internas entre as facções políticas palestinianas e à decisão do executivo israelita de declarar a Autoridade Palestiniana “entidade terrorista”.

Álvaro de Soto disse que há preocupação não só com as questões de segurança mas também com o facto de vários doadores internacionais terem retirado o seu apoio ao novo Governo palestiniano.

“A Autoridade Palestiniana enfrenta uma crescente crise orçamental devido a uma combinação de factores. As suas receitas estão a diminuir acentuadamente”, afirmou, para dizer mais adiante que foi ainda possível pagar ainda os salários de Março a 150 mil funcionários públicos, metade dos quais são membros das forças de segurança.

Álvaro de Soto afirmou que, se não se solucionar o problema orçamental da Autoridade Palestiniana, a situação conduzirá a uma crise humanitária, que não poderá ser evitada nem sequer com o aumento da assistência das Nações Unidas e dos organismos não governamentais.

O diplomata lembrou que o Secretário-Geral da ONU, Kofi Annan, convidou os membros do Quarteto para a Paz no Médio Oriente a reunirem-se, a 9 de Maio, em Nova Iorque, com o objectivo de procurar uma solução para esta conjuntura..




(Baseado numa notícia produzida pelo Centro de Notícias da ONU a 24/04/2006).



A renovação e a reforma ajudarão a reconquistar o apoio do público às Nações Unidas, afirma responsável pelo Departamento de Informação

24 de Abril de 2006 – A ampla reforma das Nações Unidas agora em curso deverá ajudar a aumentar o apoio à Organização mundial, que tem sido profundamente afectada pelo facto de se considerar haver um desfasamento entre os seus ideais e a capacidade da comunidade internacional para se unir e produzir resultados, afirmou hoje o responsável pelo Departamento de Informação das Nações Unidas.

"Um dos principais desafios que enfrentamos consiste, portanto, em eliminar esse desfasamento e tornar novamente a ONU não só um símbolo da nossa esperança colectiva mas também um poderoso instrumento capaz de traduzir essa esperança em realidades do dia-a-dia", disse o Secretário-Geral Adjunto Shashi Tharoor, na sessão de abertura do Comité de Informação, reunido na sede das Nações Unidas em Nova Iorque.

As pessoas continuam a confiar firmemente na "ideia" da ONU como Organização universal encarregada de conduzir o esforço colectivo mundial em prol do bem comum, afirmou.

No entanto, a confiança na ONU como uma "realidade" diminuiu, acrescentou. "Perante os horrores que vemos desenrolarem-se todos os dias e a incapacidade do mundo para lhes pôr termo, Darfur é um bom exemplo deste desfasamento entre a intenção e a realidade".

Mas, graças à reforma em curso, disse, "há sinais de renovação em toda a parte" e é importante que a ONU os transmita ao público mundial. A profusão de actividades que se seguiram à Cimeira Mundial de 2005 incluem a revitalização da estrutura de direitos humanos, através da criação do Conselho dos Direitos Humanos, e uma melhor coordenação após os conflitos, através da Comissão de Consolidação da Paz e do Fundo para a Democracia.

Além disso, acrescentou que "está na forja uma revisão profunda dos mandatos da ONU, o que proporciona uma oportunidade única de reforçar e adaptar a Organização a novas prioridades", e o Secretário-Geral Kofi Annan propôs medidas tendo em vista uma reformulação fundamental das normas, sistemas e cultura do Secretariado das Nações Unidas.

O próprio Departamento de Informação Pública (DPI) tem estado a ser submetido a um processo de reforma há três anos, disse Shashi Tharoor, com vista a orientar melhor a divulgação de informação, a tirar mais partido das novas tecnologias e a criar uma base de apoio mais alargada a nível local através de parcerias com organizações da sociedade civil do mundo inteiro.

Estes esforços estão a produzir resultados, afirmou, observando que se calcula que a cobertura dos programas de rádio da ONU tenha mais do que duplicado, abrangendo actualmente 300 milhões de pessoas por semana, os seus sítios multilingues na Internet são utilizados por milhões de pessoas todos os dias, e, segundo as estimativas, 9 em cada 10 pessoas que participam em visitas guiadas às Nações Unidas saem de lá a compreender melhor o trabalho da Organização e dispostas a dar-lhe um maior apoio.


(Baseado numa notícia produzida pelo Centro de Notícias da ONU a 24/04/2006)


Timor Leste: Kofi Annan propõe nova missão

24 de Abril de 2006 – Tendo em vista levar mais longe os impressionantes progressos conseguidos por Timor Leste desde a independência, em 2002, o Secretário-Geral defende a criação de um gabinete, uma vez terminado o mandato da actual missão, em Maio, a fim de ajudar a fortalecer a “frágil democracia” no mais novo país do mundo.

No seu relatório final sobre o Gabinete da ONU em Timor Leste (UNIOTIL), que encerra a 20 de Maio, o Secretário-Geral refere que os dirigentes do país pediram que a nova presença política da ONU tivesse quatro componentes: uma unidade de assistência eleitoral, um assessor em formação de polícias; oficiais de ligação; e assessores civis em áreas decisivas que exigem uma assistência continuada.

O Presidente Xanana Gusmão mencionou também que o Governo veria com bons olhos o envio de especialistas em direitos humanos encarregados de acompanhar a situação em matéria de direitos humanos e de informar sobre a mesma, no período que precede as eleições presidenciais e legislativas previstas para 2007, diz o Secretário-Geral, que recomenda que o mandato do novo gabinete integrado da ONU tenha a duração de um ano.

“Dado o investimento considerável das Nações Unidas em Timor Leste, durante mais de seis anos, é do interesse da comunidade internacional ajudar o país a consolidar aos avanços conseguidos até agora”, escreve Kofi Annan, referindo-se às várias missões da ONU criadas desde que o povo timorense se pronunciou a favor da separação da Indonésia. Graças à prestação de assistência através do gabinete integrado da ONU agora proposto, tal como foi pedido pelos dirigentes timorenses, a Organização poderia ajudar o Governo a conseguir mais progressos no domínio da paz, da estabilidade e da democracia nesta conjuntura decisiva, acrescenta o Secretário-Geral.

O UNOTIL sucedeu à Missão de Apoio das Nações Unidas em Timor Leste (UNMISET), tendo sido criado em Maio de 2005. O novo gabinete começaria a funcionar a 21 de Maio, mantendo-se operacional durante um ano.

“Espero sinceramente que as eleições presidenciais e legislativas previstas para 2007, as primeiras desde a independência do país, sejam um importante passo em frente no processo de reforço desta frágil democracia”, diz Kofi Annan, para quem “a transparência do processo eleitoral e a transparência das eleições, com a máxima participação dos Timorenses, afectarão directamente a legitimidade dos resultados eleitorais”.

O novo gabinete integrado seria chefiado por um Representante Especial do Secretário-Geral e compreender cerca de 65 uncionários.


(Baseado numa notícia produzida pelo Centro de Notícias da ONU a 24/04/2006)


Felicitando os novos dirigentes iraquianos, enviado da ONU exorta à formação de um governo de unidade nacional

23 de Abril de 2006 -- -- Felicitando os novos dirigentes políticos iraquianos, o Enviado da ONU no Iraque referiu a necessidade de os novos funcionários eleitos formarem um governo de unidade nacional.

Numa messagem lida em nome do Secretário-Geral Kofi Annan, o Representante Especial Ashraf Jehangir Qazi manifestou a esperança de que as eleições do Presidente iraquiano, do Primeiro-Ministro e do Presidente do parlamento “permitam o reforço das instituições democráticas e a consolidação do processo político”, segundo a declaração divulgada pela Missão de Assistência das Nações Unidas no Iraque( UNAMI).

Os dirigentes políticos iraquianos devem “aproveitar este novo impulso político para formarem um governo de unidade nacional que possa sarar as divisões políticas e sociais”, disse Ashraf Qazi, pedindo a todos os Iraquianos “que se unam num espírito de reconciliação nacional e de compromisso, com vista a fomentar o estabelecimento da paz e da estabilidade no Iraque”.

O Representante Especial felicitou Jalal Talabani, por ter sido eleito Presidente do Iraque, bem como Abdel Abdul Mahdi e Tareq al-Hashemi, pela sua eleição como Vice-Presidentes. Felicitou ainda Jawad al-Maliki, o novo Primeiro-Ministro eleito, Mahmoud al-Mashhadani, eleito Presidente do Conselho Iraquiano de Representantes (Parlamento iraquiano), e Khaled al-Atiyya e Arif Tayfour, Vice-Presidentes do mesmo Conselho.

O Representante Especial afirmou que a ONU está ansiosa por trabalhar com estes dirigentes recém-eleitos, com vista a fomentar a paz e a estabilidade no país.



(Baseado numa notícia produzida pelo Centro de Notícias da ONU a 23/04/2006).


69º Aniversário da Organização das Nações Unidas assinalado em Lisboa e Porto

UNDAY-PT

O ano de 2014 em revista

Da crise na Síria e na Ucrânia até o esforço global contra o ebola, entre outros eventos que marcaram o ano, a Retrospectiva da ONU 2014 relembra acontecimentos globais destacados na imprensa internacional – e também aqueles que foram esquecidos por grande parte da opinião pública.

Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária

O Centro Regional de Informação das Nações Unidas para a Europa Ocidental (UNRIC), sedeado em Bruxelas, presta informação sobre as actividades da ONU nos países da região, incluindo Portugal. Põe à disposição do público os principais relatórios da ONU, documentos, publicações, fichas informativas, comunicados de imprensa e notícias, em várias línguas, nomeadamente o português.