Quinta, 03 Setembro 2015
UNRIC logo - Portuguese

A ONU na sua língua

Conferência de Investimento para o Desenvolvimento é o Primeiro Marco de 2015, diz a ONU

07 16 wf laos child eatO Secretário-Geral Ban Ki-moon e altos funcionários das Nações Unidas elogiaram o resultado da Conferência de Investimento para o Desenvolvimento em Addis Ababa, considerando-o o primeiro marco num ano critico em que grandes decisões deverão ser tomadas sobre a futura agenda de desenvolvimento e alterações climáticas.

Continuar...

Acordo histórico sobre investimento para a nova Agenda de Desenvolvimento Sustentável da ONU

06 30 fao farmersOs Estados-membros da Organização das Nações Unidas (ONU) chegaram a acordo, esta quinta-feira, sobre um conjunto de medidas sólidas para reformular as práticas financeiras globais e gerar investimentos para resolver alguns desafios económicos, sociais e ambientais, durante a Terceira Conferência Internacional sobre Investimento para o Desenvolvimento das Nações Unidas, realizada em Addis Abeba, capital da Etiópia.

Continuar...

ONU recorda um herói da democracia: Nelson Mandela

Photo#61396

Em novembro de 2009, a Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) declarou que 18 de julho seria celebrado como Dia Internacional Nelson Mandela, em reconhecimento das contribuições feitas pelo ex-Presidente Sul-africano para a democracia, a justiça racial, areconciliação, bem como pelo seu serviço à humanidade.

Todos os anos, a 18 de julho - o dia em que Nelson Mandela nasceu - a ONU junta-se à Fundação Nelson Mandela para dedicar 67 minutos do seu tempo para ajudar os outros, como forma de assinalar o Dia Internacional Nelson Mandela.

Os 67 minutos referem-se aos 67 anos que Nelson Mandela dedicou da sua vida ao serviço da humanidade : enquanto advogado de direitos humanos, prisioneiro político, pacificador internacional e primeiro Presidente democraticamente eleito na África do Sul livre.

Tal como nos anos anteriores, o tema deste Dia Internacional é "Tome uma atitude, Inspire a mudança". A ONU junta-se à Fundação Mandela para pedir que indivíduos de todo o mundo doem um pouco do seu tempo para o serviço comunitário, com o ideal de mudar o mundo para melhor.

Como dedicar 67 minutos a ajudar quem precisa

No dia de Mandela, todos são convidados a dedicarem 67 minutos do teu tempo - um minuto para cada ano de serviço público de Mandela –em pequenos gestos de solidariedade que contribuam para o bem da humanidade e criem um movimento global de boa-vontade.

No passsado, funcionários da ONU em todo o mundo tentaram fazer a diferença através de várias atividades, incluindo a reconstrução de casas destruídas pelo furacão Sandy, doações de material escolar para as crianças, preparação de refeições para os idosos, ajuda em orfanatos ou limpeza de parques e entrega de computadores para ajudar na alfabetização.

Em 2014, em Nova Iorque, os funcionários da ONU, em parceria com a organização MillionTreesNYC, juntou-se ao Secretário-Geral Ban Ki-moon e ofereceram um pouco de seu tempo para cuidar de árvores recém-plantadas nas ruas de Midtown Manhattan e East Harlem. Já em 2013, funcionários da ONU em Nova Iorque ajudaram a reconstruir casas destruidas pelo furacão Sandy.

Se pretende dedicar um pouco do teu tempo ao serviço comunitário, aqui ficam algumas sugestões para agir e inspirar a mudança:

• Faça um novo amigo. Procure conhecer alguém de uma cultura diferente. Somente através da compreensão mútua podemos livrar as comunidades da intolerância e xenofobia

• Leia para alguém que não o pode fazer. Visite uma organização de apoio a invisuais e ajude a mostrar o mundo com outros olhos

• Ajude num abrigo para cães abandonados. Cães sem casa também precisam de serem levados a passear e de um pouco de amor

• Muitas pessoas com doenças terminais não têm ninguém para conversar. Tire um pouco do seu tempo para ter uma conversa e trazer um pouco de luz às vidas dessas pessoas

• Faça o teste do VIH/SIDA e incentive o seu parceiro a fazê-lo também

• Doe uma cadeira de rodas ou cão-guia, a alguém que necessite.

• Compre alguns cobertores, ou dê algo que já não usa a alguém que necessite.

Prémio Nações Unidas Nelson Rolihlahla Mandela:

O Prémio das Nações Unidas Nelson Rolihlahla Mandela é um prémio honorário, concedido a cada cinco anos, em homenagem às conquistas notáveis ​​e contribuições de dois indivíduos (uma mulher e um home). O Prémio foi criado pela Assembleia-Geral (resolução 68/275 de 6 de Junho de 2014) para reconhecer o trabalho daqueles que dedicam as suas vidas ao serviço da humanidade, pela promoção dos propósitos e princípios das Nações Unidas, honrando e prestando homenagem à extraordinária vida de Nelson Mandela e ao legado de reconciliação, de transição política e transformação social.

Os vencedores de 2015, que receberão o prémio em Nova Iorque, são Helena Ndume, médica da Namíbia, e Jorge Fernando Branco Sampaio, ex-Presidente da República de Portugal. A cerimónia de entrega será realizada na sede da ONU, a 24 de Julho, às 10h00 horas locais (16h em Lisboa), como parte da comemoração do Dia Internacional Nelson Mandela.

Especialista da ONU realça que novas medidas de austeridade na Grécia devem respeitar os direitos humanos

Photo: Ari Gaitanis

De acordo com um especialista da Organização das Nações Unidas (ONU), a implementação de novas medidas de austeridade na Grécia, num clima de deterioração da criseeconómica do país, devem levar em conta os direitos humanos, e pediu para que as instituições internacionais e o governo grego tomem "decisões bem informadas" antes da adoção de reformas adicionais.

"Estou seriamente preocupado com as informações que ouço a respeito da Grécia que está a passar por uma crise humanitária com escassez de medicamentos e alimentos", salientou Juan PabloBohoslavsky, especialista independente das Nações Unidas sobre a dívida externa e direitos humanos, num comunicado de imprensa.

"A prioridade deve ser garantir que toda a população da Grécia tenha acesso a níveis mínimosno que toca a direitos fundamentais:económicos, sociais e culturais, incluindo o direito a cuidados de saúde, alimentação e segurança social", acrescentou. 

"O peso da dívida até pode ser considerado sustentável se analisado de um ponto de vista estritamente financeiro, mas poderá ser totalmente inviável do ponto de vista do desenvolvimento sustentável abrangente, que inclui a proteção do meio ambiente, direitos humanos e desenvolvimento social", referiu ainda.

O apelo de Juan Pablon Bohoslavskysurge dias depois do governo da Grécia e as instituições europeiasterem chegado a um acordo de resgate exigindo que o país mediterrânico siga reformas substanciais destinadas a reduzir o custo do setor público.

O especialista da ONU também afirmou que, quando se analisa a sustentabilidade da dívida,  há necessidade de integraraspetos sociais e distributivas para que se tomem decisões plenamente informadas antes das novas medidas de austeridade .

"A Grécia parece estar numa situação em que a insolvência e a falta de liquidez são indistinguíveis", continuou ele.

Opiniões divididas e o papel do referendo

Neste aspeto, notou as divisões de opinião sobre o mérito do novo acordo entre os peritos do Fundo Monetário Internacional (FMI) e os líderes da zona euro.

O FMI sugeriu que o alívio da dívida fosse feito através de uma reestruturação e Juan Pablo Bohoslavsky admitiu que tal abordagem também teria ajudado o país a reduzir a sua "dependência doentia de instituições credoras, bem como a refletir sobre o princípio da corresponsabilidade no aumento da dívida pública da Grécia."

De acordo com o especialista da ONU, a natureza do novo acordo também põe em causa a finalidade das instituições democráticas no âmbito do quadro europeu, referindo-se ao recente referendo realizado pelo governo grego e que resultou em um voto esmagador contra ainda mais austeridade. O referendo, observou, parece ter tido pouco impacto nos credores oficiais da Grécia.

"Se o que o povo decide através de um mecanismo democrático se torn quase irrelevante, então há, obviamente, um grande desafio na Europa sobre como o diálogo democrático deve integrar interesses nacionais, regionais e financeiros que estão em jogo na negociação de acordos da dívida sem comprometer os direitos humanos", disse.

Juan PabloBohoslavsky foi convidado pelo Governo da Grécia para realizar uma visita oficial ao país de 30 de novembro a 7 de dezembro, sendo que o especialista também planeia encontrar-se com representantes das instituições europeias, do FMI e comos principais países credores.

16 de julho de 2015, Centro de Notícias da ONU/Traduzido & Editado por UNRIC

UNICEF lança apelo para restaurar abastecimento de água na Ucrânia

07 14 2015Ukraine WaterCom apenas 60 por cento da capacidade de abastecimento de água face ao nível anterior ao conflito, cerca de 1,3 milhões de pessoas na Ucrânia estão a lutar para lidar com “um crise hídrica severa” devido a canalizações destruídas ou danificadas, afirmou um responsável do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), numa conferência de imprensa em Genebra, Suíça, esta quarta-feira.

Continuar...

Pág. 9 de 1411

9

1banner pt

70º Aniversário da Organização das Nações Unidas

UN70 Logo Portuguese vertical 250px

UNEARTH banner 240x159
Exposição em Lisboa -
4 a 27 de Setembro 2015

Logo only Time for global action banner 253x95 Portuguese

Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária

O Centro Regional de Informação das Nações Unidas para a Europa Ocidental (UNRIC), sedeado em Bruxelas, presta informação sobre as actividades da ONU nos países da região, incluindo Portugal. Põe à disposição do público os principais relatórios da ONU, documentos, publicações, fichas informativas, comunicados de imprensa e notícias, em várias línguas, nomeadamente o português.