Terça, 04 Agosto 2015
UNRIC logo - Portuguese

A ONU na sua língua

Nações Unidas pedem cessar-fogo na Líbia face ao reacender da violência

Photo: UNSMIL

Profundamente preocupada com o alto nível de violência no sul da Líbia, a Missão de Apoio das Nações Unidas na Líbia (UNSMIL), apelou a um cessar-fogo imediato, esta sexta-feira, sobretudo em face dos combates que já fizeram dezenas de vitimas fatais nas últimas semanas.

“O caos instalou-se na Líbia e há necessidade dos atores principais chegarem rapidamente a um acordo político", disse a UNSMIL em comunicado, que aponta para a violência que grassa, em particular, nas cidades de Sabha, al-Kufra e Awbari, tendo a missão pedido o fim imediato da violência.

Informações recolhidas no local indicam que os recentes conflitos em Sabha resultaram em dezenas de mortos, incluindo três mulheres e quatro crianças. De acordo com a UNSMIL, os repetidos confrontos na área também forçaram centenas de famílias a abandonarem suas casas e buscar refúgio em outras comunidades .

"AUNSMIL apela a um cessar-fogo imediato e apoia todos os esforços locais e nacionais para a paz e a reconciliação. A Missão também pede para que as partes envolvidas nos confrontos ajam com muita moderação, ouçam a voz da sabedoria e tenham negociações pacíficas para resolver as suas diferenças por meios políticos ", disse o comunicado.

A Missão lembrou a todas partes envolvidas no conflito que ataques contra civis são contra os direitos humanos e podem ser considerados crimes de guerra.

"A intensificação de conflitos no sul, juntamente com o aumento acentuado de atividades criminosas em Sabha, que custou a vida de mais de 60 pessoas nas últimas semanas, são evidências da situação caótica quese encontra na Líbia e da necessidade dos principais agentes líbios agirem rapidamente para chegar a um acordo político para restaurar a autoridade do Estado e garantir a segurança e estabilidade para o país”, concluiu o comunicado da UNSMIL.

Na semana passada, o Conselho de Segurança das Nações Unidas congratulou-se com a assinatura do acordo político líbio em Skhirat, Marrocos, a11 de julho, sendo o mais recente passo no sentido de resolver a crise política do país.

Este foi o  resultado de consultas em curso, facilitadas pela ONU, entre os várias partidos da Líbia, apesar dos combates esporádicos em todo o país.

"Os membros do Conselho de Segurança reconheceram a vontade política e a coragem demonstrada por aqueles que assinaram este projeto de acordo, que visa resolver as crises institucionais e de segurança na Líbia", declarou o Conselho de 15 membros, num comunicado divulgado no final da tarde.

"Os membros do Conselho de Segurança pediram para que todos os partidos se envolvam no diálogo político líbio e se unam para apaoiar este acordo que vai permitir fazer avançar o processo de transição política, através da formação de um Governo de Acordo Nacional".

 De acordo com a agência de refugiados da ONU, os combates na Líbia provocaram uma crise crescente de deslocação forçada dentro do país. O número de pessoas deslocadas quase duplicou: do valor estimado de 230 mil, em setembro, para mais de 434 mil, na atualidade.

24 de julho de 2015, Centro de Notícias da ONU/Traduzido & Editado por UNRIC

Jorge Sampaio: "Prémio Mandela honra-me muito e estimula-me para coisas futuras"

 Sampaio foi reconhecido pelo trabalho em prol da democracia em PortugalO ex-Presidente de Portugal, Jorge Sampaio, recebeu esta sexta-feira, em Nova Iorque, o  1º Prémio da ONU Nelson Mandela, e disse sentir-se honrado com a associação a uma "figura incontornável do século 20 e exemplo extraordinário de tolerância", em entrevista à Rádio ONU.

Continuar...

ONU faz chegar ajuda alimentar no meio de combates intensos no Iémen

Photo:WFP/Ammar Bamatraf

O Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas (PAM) obteve um "um grande avanço" no Iémen ao fazer chegar o primeiro navio com ajuda desde que o conflito comecou, em março.

A mercadoria ancorou, na terça-feira, no porto de Aden, após repetidas tentativas para fazer chegar alimentos a um grande número de pessoas cada vez mais desesperadas com os intensos combates que continuam a ter um forte impacto na vida dos civis.

"Nos próximos dias esperamos conseguir chegar a mais pessoas, não só em Aden, mas por todo o Iémen", disse Muhannad Hadi, Diretor Regional do PAM para o Médio Oriente, Norte da África, Ásia Central e Europa Oriental.

O navio MV Han Zhi, com três mil toneladas de alimentos - para alimentar 180 mil pessoas durante um mês - ficou ancorado no porto petrolífero de Al-Buraiqa.

O navio já se encontrava na região desde 26 de junho, mas foi impedido de ancorar em segurança durante estas três semanas, face aos fortes combates na zona portuária.

"Este é um grande avanço na nossa resposta humanitária no Iémen. Embora tenhamos sido capazes de chegar a várias áreas do sul por terra, a ancoragem no porto de Aden permite-nos responder com eficácia  às necessidades urgentes no sul do Iémen", disse Muhannad Hadi.

"Outros navios fretados pelo PAM estão também estacionados nos arredores do porto de Aden, com mais combustível e alimentos", disse a agência.

O número de pessoas vítimas de insegurança alimentar no Iémen está perto dos 13 milhões, incluindo mais de 6 milhões de pessoas que não conseguirão sobreviver sem ajuda externa.

Mais de 5500 vítimas entre mortos e feridos

Por outro lado, o Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (OHCHR) divulgou que, entre 3 e 15 de Julho, pelo menos mais 165 civis morreram, incluindo 53 crianças e 23 mulheres, tendo ficado feridas 210 pessoas.

"Os ataques aéreos são os principais causadores de vítimas mortais entre os civis, mas são também vítimas de fogo de morteiro e de outros disparos nas ruas", disse o porta-voz da OHCHR, Rupert Colville, numa conferência de imprenssa em Genebra (Suíça).

"Desde 26 de março, morreram 1693 civis e 3829 foram feridos. O conflito continua a colocar a população civil em sérios riscos devido à violência direta, mas também tem um impacto negativo sobre muitos dos direitos económicos, sociais e culturais", acrescentou Rupert Colville.

Há relatos de que os chamados Comités Populares - filiados dos rebeldes Houthi – estão a recrutar combatentes entre os civis, incluindo crianças, que foram enviados para várias cidades.

As agências da ONU testemunham que se mantêm intensos combates terrestres, bombardeamentos e detonação de explosivos improvisados por parte das duas fações: os rebeldes Houthi (muçulmanos xiitas) e os grupos armados leais ao  ex-Presidente Saleh (muçulmanos sunitas).

23 de julho de 2015, Centro de Notícias da ONU/Traduzido & Editado por UNRIC

ONU afirma que primeira metade de 2015 teve os “seis meses mais quentes alguma vez registados”

07 21 2015Water SudanDe janeiro a junho de 2015, a temperatura média global sobre superfícies terrestres e marítimas foi a mais quente alguma vez registada, alertou hoje a Organização Meteorológica Mundial das Nações Unidas apontando para novos picos de temperatura em todo o planeta em junho com ondas de calor no Sul da Ásia, Europa e Estados Unidos.

Continuar...

No Dia Internacional Nelson Mandela, ONU junta-se a chamada global de inspiração à mudança

61396 MandelaO 70º aniversário da fundação das Nações Unidas oferece uma oportunidade perfeita para refletir na vida e no trabalho de Nelson Mandela com uma chamada de ação para ajudar os outros, disse o Secretário-Geral Ban Ki-moon juntando-se ao resto do mundo para assinalar o Dia Internacional Nelson Mandela.

Continuar...

Pág. 3 de 1406

3

70º Aniversário da Organização das Nações Unidas

UN70 Logo Portuguese vertical 250px

Logo only Time for global action banner 253x95 Portuguese

Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária

O Centro Regional de Informação das Nações Unidas para a Europa Ocidental (UNRIC), sedeado em Bruxelas, presta informação sobre as actividades da ONU nos países da região, incluindo Portugal. Põe à disposição do público os principais relatórios da ONU, documentos, publicações, fichas informativas, comunicados de imprensa e notícias, em várias línguas, nomeadamente o português.