Segunda, 20 Novembro 2017
UNRIC logo - Portuguese

A ONU na sua língua

Guterres: "Há uma oportunidade de construir uma nova República Centro-Africana"

guterres rCA2

Guterres esteve com desalojados na cidade de Bangassou. UN Photo/Eskinder Debebe

Com ONU News

António Guterres acredita que divisões religiosas são resultado de manipulações políticas e quer que Conselho de Segurança apoie reforço da operação de paz e das Forças Armadas centro-africanas.

O Secretário-geral das Nações Unidas marcou o segundo dia da visita à República Centro-Africana destacando que a sua presença no país mostra solidariedade ativa.

Esta quarta-feira, o chefe da ONU participou numa reunião com o presidente Faustine Touadéra, em Bangui, onde reafirmou a "profunda" cooperação com o povo centro-africano pelos "sofrimentos, problemas e dificuldades".

A mensagem central desta visita passa pela "necessidade de um compromisso da comunidade internacional não apenas para reduzir esse sofrimento e problemas," mas também porque para António Guterres "há uma oportunidade de construir uma nova República Centro-Africana em paz, segurança e prosperidade para o seu povo". Guterres citou o atual diálogo político que envolve movimentos armados para garantir um futuro de paz no país.

RCA21

UN Photo/Eskinder Debebe

Na sua visita de solidariedade, Guterres esteve com desalojados na cidade de Bangassou onde apelou ao diálogo entre os diferentes grupos religiosos: "cristãos e muçulmanos sofreram o suficiente e que os líderes religiosos devem ser apóstolos pela paz".

Para o secretário-geral, as atuais divisões religiosas "não são tão profundas e nunca existiram, sendo "apenas o resultado de manipulações políticas que devem ser condenadas e evitadas a todo custo".

Guterres elogiou o presidente centro-africano pelo seu forte apelo à unidade e pela reconciliação do povo. O apelo aos líderes religiosos e comunitários é que "elevem a voz no sentido de uma reconciliação efetiva".

Na terça-feira, o chefe da ONU prestou tributo aos militares internacionais pelo seu sacrifício em busca da paz numa cerimónia e em visitas a soldados internados. Pelo menos 12 boinas-azuis perderam a vida em situações hostis ocorridas este ano na nação africana.

Guterres disse ainda que é preciso "um reforço do tamanho e da capacidade da Missão das Nações Unidas na República Centro-Africana, Minusca, para proteger melhor o povo".

O representante defendeu ainda que devem ser criadas condições para que as Forças Armadas centro-africanas comecem a desempenhar um papel efetivo na proteção e na segurança do seu país.

O outro pedido Secretário-Geral da ONU é que "tudo seja feito para ajudar o país a adotar uma perspetiva de desenvolvimento, para que as pessoas possam sentir que a paz traz elementos positivos" na vida nacional e nas suas diferentes regiões.

Guterres apelou à solidariedade ativa a comunidade internacional para que esta ajude as Nações Unidas no reforço da Missão InterdicMINUSCA, em particular através de uma decisão do Conselho de Segurança para apoiar as Forças Armadas centro-africanas.

António Guterres visita Dominica após passagem de furacão

Sustainable Development Goals LOGO PT vertical 250

Sustainable Development Goals POSTER 250px

Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária