Quarta, 22 Novembro 2017
UNRIC logo - Portuguese

A ONU na sua língua

ONU projeta que população mundial chegue aos 8,5 mil milhões em 2030

491992 sevenbillionA população mundial deverá chegar aos 8,5 mil milhões em 2030, 9,7 mil milhões em 2050 e exceder os 11 mil milhões em 2100 com a Índia a ultrapassar a China como país mais populoso do mundo num prazo de sete anos. A Nigéria deverá ultrapassar a população dos Estados Unidos, tornando-se o terceiro país mais populoso do mundo em 35 anos. Os dados são de um novo relatório lançado pelas Nações Unidas.

Além disso, o relatório aponta que durante o período de 2015 a 2050, metade do crescimento da população mundial estará concentrado em nove países: Índia, Nigéria, Paquistão, República Democrática do Congo, Etiópia, Tanzânia, os Estados Unidos, Indonésia e Uganda.

Wu Hongbo, Sub Secretário-Geral da ONU para Assuntos Económicos e Sociais, cujo departamento produziu Perspetivas da População Mundial 2015, o 24º relatório com projeções e previsões oficiais da ONU sobre população, observou que entender as mudanças demográficas que deverão ocorrer nos próximos anos “é uma chave para a conceção e implementação da nova agenda de desenvolvimento”.

Os Estados-Membros das Nações Unidas estão atualmente a trabalhar na agenda sucessora aos icónicos Objetivos de Desenvolvimento do Milénio (ODMs), cujo prazo termina este ano. Um novo quadro, focado na erradicação da pobreza, inclusão social e em preservar a saúde do planeta, deverá ser adotado numa Cimeira Especial da ONU a ser realizada em setembro em Nova Iorque.

De acordo com as projeções do relatório, a população atual de 7,3 mil milhões deverá alcançar os 8,5 mil milhões em 2030, 9,7 mil milhões em 2050 e 11,2 mil milhões em 2100.

 “A maioria do crescimento da população mundial projetado pode ser atribuído a uma lista curta de países com altas taxas de fertilidade, principalmente em África, ou países com grandes populações”, afirma o relatório.

Atualmente, a China e Índia permanecem os maiores países do mundo em termos de população, cada uma com mais de 1 milhar de milhão de pessoas, representando 19 e 18 por cento da população mundial respetivamente. No entanto, em 2022, a população da Índia deverá ultrapassar a da China, aponta uma projeção do relatório.

Entre os 10 maiores países do mundo atualmente, um é em África (Nigéria), cinco na Ásia (Bangladesh, China, Índia, Indonésia e Paquistão), dois na América Latina (Brasil e México), um na América do Norte (EUA) e um na Europa (Federação Russa).

 “Destes, a população da Nigéria, atualmente a sétima maior do mundo, é a que cresce mais rapidamente”, afirmou o relatório. Consequentemente, a população da Nigéria deverá ultrapassar a dos Estados Unidos em 2050, tornando-se na terceira maior do mundo.

O relatório também prevê que em 2050 as populações de seis países deverão ser superiores a 300 milhões: China, Índia, Indonésia, Nigéria, Paquistão e Estados Unidos.

E com a maior taxa de crescimento de população, África deverá ser responsável por mais de metade do crescimento da população mundial nos próximos 35 anos.

Durante este período, o relatório afirma que as populações de 28 países africanos deverão crescer mais do que o dobro. Por sua vez em 2100, 10 países africanos deverão quintuplicar as suas populações: Angola, Burundi, República Democrática do Congo, Malawi, Mali, Níger, Somália, Uganda, Tanzânia e Zâmbia.

 “A concentração do crescimento de população nos países mais pobres representa um conjunto de desafios, tornando mais difícil erradicar a pobreza e desigualdades, combater a fome e subnutrição e expandir o acesso à educação e sistemas de saúde, que são essenciais para o sucesso da nova agenda de desenvolvimento sustentável”, afirmou John Wilmoth, Diretor da Divisão de População da ONU.

Em contraste às projeções de crescimento, é previsto um envelhecimento significante da população nas próximas das décadas na maioria das regiões, começando pela Europa onde 34 por cento da população terá mais de 60 anos até 2050. Na América Latina, nas Caraíbas e Ásia, a população com mais de 60 anos passará de 11/12 por cento atualmente para 25 em 2050.

Na sequência do relatório, a esperança de vida ao nascimento aumentou significativamente nos países menos desenvolvidos nos últimos anos. Um ganho médio de seis anos na esperança média de vida nos países mais pobres, de 56 anos em 2000-2005 para 62 anos em 2010-2015, quase o dobro do aumento registado no resto do mundo. Embora diferenças significantes na esperança média de vida nas principais áreas e principais grupos de rendimento deverão continuar, deverão ter uma queda significativa entre 2045 e 2050.

30 de julho de 2015, Centro de Notícias da ONU/Traduzido & Editado por UNRIC

António Guterres visita Dominica após passagem de furacão

Sustainable Development Goals LOGO PT vertical 250

Sustainable Development Goals POSTER 250px

Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária