Sexta, 31 Outubro 2014
UNRIC logo - Portuguese

A ONU na sua língua

Grandes avanços nos Objetivos de Desenvolvimento do Milénio com mais metas a ser alcançadas até 2015

capa relatorio ODM2.jpgGenebra, 1 de julho – Com alguns dos Objetivos de Desenvolvimento do Milénio (ODM) já atingidos, mais metas estão dentro do alcance até à 2015, ao mesmo tempo que os desafios para alcançar outros objetivos devem ser urgentemente abordados, de acordo com um novo relatório lançado hoje pelo Secretário-Geral das Nações Unidas, Ban Ki-Moon.

Com base em estatísticas oficiais detalhadas, o Relatório dos Objetivos de Desenvolvimento do Milénio 2013 mostra que as ações conjuntas dos governos, da comunidade internacional, da sociedade civil e do setor privado estão a tornar os ODM numa realidade.

"Os ODM têm sido o impulso anti-pobreza global mais bem sucedido da história", disse Ban Ki-Moon. "Os ODM têm provado que os objetivos de desenvolvimento global concentrados podem fazer uma diferença profunda." Os oito objetivos foram acordados por todos os países na Cimeira do Milénio das Nações Unidas, em 2000.

Com milhões de vidas das pessoas melhoradas pelas metas de redução da pobreza, de reforço no acesso à água potável, de melhoria da vida dos moradores de favelas e de alcance da paridade de género no ensino primário, o relatório mostra que o progresso notável noutras áreas significa que mais metas poderão ser alcançadas até 2015.

Milhões de vidas foram salvas

De acordo com o relatório, grandes conquistas têm sido alcançadas na saúde. Entre 2000 e 2010, as taxas de mortalidade motivadas pela malária caíram mais de 25 por cento no mundo e cerca de 1,1 milhões de mortes foram evitadas. As taxas de mortalidade por tuberculose, a nível global e em várias regiões, podem ser reduzidas pela metade, até 2015, em comparação aos níveis de 1990. Entre 1995 e 2011, um total cumulativo de 51 milhões de pacientes com tuberculose foram tratados com sucesso, salvando-se 20 milhões de vidas.

O relatório observa que enquanto as novas infecções por HIV estão em declínio, estima-se que, em 2011, 34 milhões de pessoas estavam infectadas. No final de 2011, 8 milhões de pessoas estavam a receber terapêutica antiretroviral para o HIV ou SIDA nas regiões em desenvolvimento, e a meta dos ODM de acesso universal à terapia antiretroviral continua alcançável até 2015 se as tendências atuais continuarem, afirma o relatório.

A meta de reduzir para metade a percentagem de pessoas que sofrem de fome até 2015 está ao nosso alcance, evidencia o relatório. A proporção de pessoas subnutridas no mundo diminuiu de 23 por cento em 1990-1992 para 15 por cento em 2010-2012.

Acção acelerada é necessária

Em todo o mundo, a taxa de mortalidade de crianças com menos de cinco anos caiu em 41 por cento – de 87 mortes em cada mil nados-vivos em 1990 para 51 em 2011, o que significa menos 14 mil mortes de crianças por dia. Cada vez mais, as mortes de crianças estão concentradas nas regiões mais pobres e ocorrem no primeiro mês de vida.

Globalmente, a taxa de mortalidade materna diminuiu em 47 por cento ao longo das últimas duas décadas, passando de 400 mortes maternas por 100 mil nados-vivos para 210 entre 1990 e 2010. O relatório mostra que o cumprimento da meta dos ODM de reduzir a proporção em três quartos exigirá intervenções aceleradas e um apoio político forte para mulheres e crianças.

Entre 2000 e 2011, o número de crianças fora da escola caiu quase para metade – de 102 para 57 milhões, mas o relatório revela que o direito à educação primária ainda é negado a muitas crianças. De 1990 a 2011, 1,9 mil milhões de pessoas ganharam acesso a uma retrete, autoclismo ou a outra instalação sanitária melhorada, mas 2,5 mil milhões ainda carecem de instalações sanitárias melhoradas. O relatório também observa que a base de recursos do planeta está em sério declínio, com perdas contínuas de florestas, espécies e de recursos haliêuticos, num mundo que já enfrenta os impactos das alterações climáticas.

Progresso desigual

O relatório recomenda que a atenção global precisa de se focar nas desigualdades. O progresso em direcção aos oito ODM tem sido desigual – não só entre regiões e países, mas também entre grupos populacionais de um mesmo país. As pessoas que vivem em situação de pobreza ou em áreas rurais permanecem em desvantagem abusiva. Em 2011, apenas 53 por cento dos nascimentos em áreas rurais foram assistidos por profissionais de saúde qualificados, ao passo que nas áreas urbanas esta percentagem foi de 84%. Oitenta e três por cento da população sem acesso a uma fonte melhorada de água potável vivem em comunidades rurais.

Ajuda financeira para os países mais pobres decresceu

O relatório observa que a consecução dos ODM é afetada por uma ajuda financeira global menor, com os países mais pobres a serem, adversamente, os mais afetados. Em 2012, a subvenção de ajuda líquida dos países desenvolvidos para os países em desenvolvimento totalizou 126.000 milhões de dólares. Isto representa uma queda de 4 por cento em termos reais em relação a 2011, que foi de 2 por cento abaixo dos níveis de 2010. A queda afetou mais os países menos desenvolvidos. Em 2012, a assistência bilateral oficial ao desenvolvimento a esses países decaiu 13 por cento, para cerca de 26 mil milhões de dólares. No entanto, o relatório mostra que os mais baixos encargos da dívida e um maior acesso ao comércio estão a beneficiar os países em desenvolvimento.

ODM e a agenda de desenvolvimento pós-2015

A ONU está a trabalhar com os governos, a sociedade civil no sentido de potenciar a dinâmica gerada pelos ODM e criar uma ambiciosa, mas realista, agenda de desenvolvimento pós-2015. O relatório sustenta que a conclusão bem-sucedida dos ODM representará um ponto de partida importante para uma agenda de desenvolvimento sucessora e que o volume de experiências e de lições aprendidas com os ODM vão beneficiar as perspectivas para um progresso contínuo.

"Através da ação acelerada, o mundo pode alcançar os ODM e potenciar a dinâmica de uma agenda de desenvolvimento pós-2015 ambiciosa e inspiradora", disse Ban Ki-Moon. "Agora é a hora de intensificar os nossos esforços para construir um futuro mais justo, seguro e sustentável para todos."

O Relatório dos Objetivos de Desenvolvimento do Milénio, uma avaliação anual do progresso global e regional em direcção aos Objetivos, reflecte a informação mais completa e actualizada, compilada por mais de 27 agências das Nações Unidas e é produzido pelo Departamento de Assuntos Económicos e Sociais da ONU. Um conjunto completo dos dados utilizados para preparar o relatório está disponível em mdgs.un.org

Apresentação em Portugal

Em Portugal o Relatório dos ODM 2013 foi apresentado também no dia 1 de julho às 10 da  manhã no Camões – Instituto para a Cooperação e para a Língua, pela Relatora Especial da ONU para o Direito à água e Saneamento, Catarina Albuquerque. O evento contou também com a participação do Vice-Presidente do Camões, Paulo Nascimento e o Director Executivo da ONG OIKOS, João José Fernandes.     

Os três oradores estiveram de acordo sobre o facto de que os ODM deram um impulso importante para o desenvolvimento, nomeadamente ajudando os doadores a canalizar fundos e melhorando a eficácia da ajuda. No entanto ficaram aquém “no que respeita resolução das desigualdades que parecem continuar a crescer” disse Catarina Albuquerque que pediu a inclusão dos direitos humanos na agenda para o desenvolvimento pós-2015. O Director Executivo da OIKOS acrescentou a necessidade de estabelecer objectivos universais (iguais para países desenvolvidos e em vias de desenvolvimento) e incluir também a boa governação. Para o vice-presidente do Camões o empoderamento da mulher é crucial para o sucesso dos programas de desenvolvimento.    

A publicação do Relatório dos ODM em Português e a organização do lançamento foram da responsabilidade do Centro Regional de Informação das Nações Unidas (UNRIC) com a colaboração do Camões.

O documento em portugês estará muito em breve disponível em www.unric.org/pt

Para informações adicionais, materiais de imprensa e para a lista de contactos das várias agências, consulte: www.un.org/millenniumgoals

69º Aniversário da Organização das Nações Unidas assinalado em Lisboa e Porto

UNDAY-PT

Façamos um mundo melhor

Vamos fazer do mundo um lugar melhor 

Vídeo apresentado no contexto da Cúpula do #Clima das Nações Unidas.

Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária

O Centro Regional de Informação das Nações Unidas para a Europa Ocidental (UNRIC), sedeado em Bruxelas, presta informação sobre as actividades da ONU nos países da região, incluindo Portugal. Põe à disposição do público os principais relatórios da ONU, documentos, publicações, fichas informativas, comunicados de imprensa e notícias, em várias línguas, nomeadamente o português.