Terça, 02 Setembro 2014
UNRIC logo - Portuguese

A ONU na sua língua

Dois Anos de Crise na Síria: Sérios Desafios de Financiamento para Alimentar Milhões de Sírios

Syria photoDamasco - Dois anos decorridos de crise na Síria, o Programa Alimentar Mundial (PAM) enfrenta sérios desafios na expansão da sua operação de emergência para alimentar milhões de pessoas afetadas pelos conflito, por causa da escassez de financiamento.

"Esta é uma crise global que requer uma resposta global para que possamos atender às necessidades crescentes e urgentes dos sírios", disse a Diretora Executiva do PAM Ertharin Cousin. "Estamos gratos pelas generosas contribuições que temos recebido até agora de cerca de 30 doadores governamentais, incluindo a Austrália, Canadá, União Europeia, Japão, Reino Unido e Estados Unidos, mas as necessidades são crescentes".Ela disse que os planos da agência de alimentos da ONU para chegar a 2,5 milhões de pessoas na Síria, e mais de um milhão de refugiados em países vizinhos estão ameaçados pela falta de recursos. O PAM precisa urgentemente de 156 milhões de dólares americanos para continuar o seu trabalho e poder alimentar os sírios até junho.
O PAM iniciou a sua operação de emergência na Síria em agosto de 2011 e, até agora, distribuiu mais de 83 mil toneladas de alimentos a milhões de sírios em mais de 400 locais diferentes em todo o país, com 5 mil camiões e 55 barcos.

Nos países vizinhos, as equipes do PAM no Iraque, Jordânia, Líbano, Turquia e no Egito estão a utilizar principalmente vales de alimentação para alimentar os refugiados sírios em situação vulnerável. O vale alimentação ajuda a impulsionar a economia local em comunidades abaladas pelo afluxo de pessoas.

Até agora, o PAM já distribuiu mais de um milhão de vales alimentação e meio milhão de pacotes de alimentos nos países vizinhos. Mais de três milhões de refeições em três meses foram distribuídas aos refugiados sírios no campo de refugiados em Zaatari, na Jordânia.

O PAM é inteiramente financiado por contribuições voluntárias. Quaisquer atrasos na chegada de financiamento significa que o PAM não será capaz de fornecer uma quantidade de alimentos maior do que planejava entregar a famílias sírias em março. No início da crise, o pão estava disponível a um preço subsidiado e produzido nos mercados locais, de modo que a distribuição era menor, mas agora os sírios estão a enfrentar uma grave escassez de pão em todo o país.

A cesta de alimentos atual inclui arroz, bulgur de trigo, lentilhas, açúcar, óleo vegetal e sal. A falta de recursos vai forçar o PAM a reduzir ainda mais a cesta de alimentos e o número de pessoas que recebem a ajuda alimentar no interior do país, já em meados de abril.

Com o afluxo nos países vizinhos a rondar as 8 mil pessoas por dia, os recursos do PAM estão a esgotar-se rapidamente. No geral, a operação de emergência do PAM na Síria precisa de 18 milhões dólares por semana.

"Este é um momento crítico para os sírios. Eles esgotaram suas poupanças e precisam de mais ajuda, como esta crise vai para seu terceiro ano, agora não é o momento para reduzir ou parar as nossas operações ", acrescentou Cousin. "Estamos determinados a continuar nossa ajuda para salvar vidas, mas precisamos de apoio contínuo, de doadores generosos - e do apoio de novos doadores - Até que uma solução política esteja em prática".

14 de Março| Comunicado do Programa Alimentar Mundial (Traduzido por UNRIC)

A semana em imagens

A emergência humanitária e de segurança no Sudão do Sul; a continuidade das atrocidades na Síria e as ações da ONU; a entrevista com a chefe de direitos humanos da ONU, Navi Pillay, que está deixando o cargo; o perigo representado pelos novos “cigarros eletrônicos”; e a discussão global, em Samoa, sobre desenvolvimento sustentável nos Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento – estes são os destaques do resumo semanal da ONU em imagens. Legendado pela ONU Brasil.

Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária

O Centro Regional de Informação das Nações Unidas para a Europa Ocidental (UNRIC), sedeado em Bruxelas, presta informação sobre as actividades da ONU nos países da região, incluindo Portugal. Põe à disposição do público os principais relatórios da ONU, documentos, publicações, fichas informativas, comunicados de imprensa e notícias, em várias línguas, nomeadamente o português.