Segunda, 20 Outubro 2014
UNRIC logo - Portuguese

A ONU na sua língua

Conselho Anti-Narcóticos da ONU alerta para aumento generalizado no uso de 'drogas legais'

DrogasO órgão independente das Nações Unidas encarregado de monitorizar a produção e o consumo de drogas em todo o mundo, advertiu ontem sobre o aumento da utilização de substâncias psicoativas conhecidas como "drogas legais" que reproduzem o efeito de drogas ilegais, e representam uma ameaça para a saúde pública.

"Nos últimos anos, tem havido um aumento sem precedentes no abuso de novas substâncias psicoativas", disse Raymond Yans, presidente do Conselho Internacional de Controle de Narcóticos da ONU (INCB acrónimo no original em inglês).

De acordo com o último relatório anual do INCB, estas 'drogas legais' estão facilmente disponíveis na Internet, e o número de variedades é estimado na casa das centenas e cresce constantemente. "Só na Europa, uma nova substância está a aparecer a cada semana", afirmou Yans. "Anteriormente, entre 2000 e 2005 havia uma média de cinco notificações de novas substâncias por ano.

Medidas claras devem ser tomadas agora pelos governos para
prevenir e lidar com o abuso dessas chamadas "drogas legais", que já são uma ameaça à saúde pública e representam um desafio significativo para os sistemas de saúde pública".

O relatório também afirma que o abuso de medicamentos prescritos continua a espalhar-se em todas as regiões do mundo. Em particular, tem havido um aumento do consumo de drogas utilizadas para o tratamento do Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperactividade (TDAH) num certo número de países.

Outra questão importante é o abuso de tranquilizantes e sedativos. "Mais do que seis por cento dos alunos do ensino secundário já abusaram dos tranquilizantes em alguns países, com destaque para uma outra tendência alarmante de abuso de drogas", afirmou Yans.

Ele acrescentou que o problema da droga é "um problema verdadeiramente mundial que precisa de uma solução global" a nível internacional, nacional e comunitária, e salientou a importância de seguir as convenções internacionais de controlo de drogas para evitar o tráfico.

O relatório também destaca a situação de cada região geográfica, observando que a América do Norte continua a ser o maior mercado de drogas ilícitas no mundo, bem como a região relatando a maior taxa de mortalidade relacionada com o uso de droga, com aproximadamente uma em cada 20 mortes entre pessoas com idade de 15 a 64 anos na América do Norte relacionadas ao abuso de drogas.

A cannabis continua a ser a droga mais cultivada, traficada e abusada na África, diz o relatório, mas são estimulantes do tipo anfetamina que estão a ser cada vez mais vistos como uma nova ameaça na região. Houve também níveis mais elevados de abuso de cocaína na África Ocidental, como a região emergiu como uma área de passagem para drogas da América do Sul para o mercado europeu nos últimos anos.

Na América do Sul, a área total do cultivo ilegal de cocaína diminuiu ligeiramente em comparação com os anos anteriores. No entanto, continua a haver grandes apreensões de cannabis. A América Central e do Caribe continuam a ser usados ​​como áreas de trânsito para a cocaína traficada da América do Sul para o mercado norte-americano, que está tendo efeitos desestabilizadores nesses países, devido a um aumento nos níveis de droga e violência. Este continua a constituir uma grande ameaça para a segurança pública em particular no México, onde - de acordo com dados do governo - mais de 60.000 pessoas foram mortas como resultado da violência relacionada às drogas desde 2006.

O Leste e Sudeste da Ásia continuam a ter a segunda maior área total de cultivo ilícito da papoila do ópio no mundo, e a região é também um centro de fabricação de estimulantes do tipo anfetamina, com quase metade das apreensões mundiais de metanfetamina em 2010 feita no Sul- Leste da Ásia. Enquanto isso, os níveis de produção de abuso e ilícitos do tipo das anfetaminas estimulantes na Oceania permaneceram entre os mais altos do mundo. Por sua parte, a Ásia Ocidental ainda tem a maior parte do cultivo de papoilas de ópio ilícito mundial e produção de opiáceos ilícitos, principalmente no Afeganistão.

 

5 de março | Centro de Notícias da ONU (Traduzido por UNRIC)

Façamos um mundo melhor

Vamos fazer do mundo um lugar melhor 

Vídeo apresentado no contexto da Cúpula do #Clima das Nações Unidas.

Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária

O Centro Regional de Informação das Nações Unidas para a Europa Ocidental (UNRIC), sedeado em Bruxelas, presta informação sobre as actividades da ONU nos países da região, incluindo Portugal. Põe à disposição do público os principais relatórios da ONU, documentos, publicações, fichas informativas, comunicados de imprensa e notícias, em várias línguas, nomeadamente o português.