Domingo, 05 Julho 2015
UNRIC logo - Portuguese

A ONU na sua língua

Nações Unidas reagem às inundações em Moçambique

Floods 2“Tudo o que eu preciso é assistência médica e um sítio seguro para proteger a minha bebé recém-nascida”, disse Hortência Massango, uma mulher de 25 anos de Chokwe, na província de Gaza, que deu à luz num telhado e foi resgatada e levada para Chihaquelane, um local de alojamento temporário.

 “Quando a chuva começou a piorar eu subi para o telhado da casa vizinha, onde dei à luz. Eu estava sozinha mas momentos depois eu fui ajudada por outras pessoas que me ajudaram a descer porque eles temiam que eu tivesse complicações”, lembra ela.

Hortência é uma dos 200.000 moçambicanos afetados pelas fortes inundações. Ela é de Gaza, a província mais atingida, onde 38 pessoas morreram e mais de 140.000 estão desalojadas, a maioria delas mulheres e crianças. Em todo o país, mais de 100 pessoas morreram nas enchentes que também afetam as províncias de Inhambane, Manica, Sofala e Zambézia.

Em resposta à situação, as Agências das Nações Unidas juntaram- se às Organizações Não-Governamentais para ajudar a diminuir o impacto, especialmente entre os mais vulneráveis. Uma dessas agências é o Fundo das Nações Unidas para a População (FNUAP). “ Todos os nossos esforços visam evitar um aumento na morbidade e na mortalidade materna, devido à falta de acesso e cuidados no momento do parto, e também para proteger mulheres e meninas contra a violência”, disse a representante do Fundo das Nações Unidas para a População em Moçambique, Bettina Maas.

Betina Maas acrescentou que mesmo que períodos normais, as complicações na gravidez e a gravidez precoce são as principais causas de morte entre as mulheres na idade reprodutiva em Moçambique. “Numa situação de trauma, stress psicológico, desnutrição e falta de saneamento, a gravidez torna-se muito mais arriscada, assim como a prevenção e o tratamento do HIV”, disse ela. “O FNUAP está também preocupado com a eventual ocorrência da violência contra meninas e mulheres nos lugares destinados aos desalojados”.

Estrategicamente, o FNUAP está a trabalhar com as autoridades de saúde e de proteção para garantir que todas as questões relacionadas com a maternidade segura e a segurança sejam resolvidas. Essa semana, a organização em parceria com o Ministério dos Assuntos Sociais e da Mulher distribui cerca de 500 kits dignidade para as mulheres afetadas pelas enchentes em Maputo.

"Esperamos que estes produtos possam ajudá-las neste momento", disse a Ministra da Mulher e Ação Social, Iolanda Cintura, no abrigo temporário do "Solidariedade" no bairro de Mavalane. Ela explicou que o kit contém itens de higiene e são dirigidos a mulheres grávidas, lactantes e às adolescentes.

O Ministério da Saúde e o Ministério dos Assuntos Sociais e da Mulher, em parceria com o FNUAP está a distribuir 3 mil kits dignidade e de saúde reprodutiva na província de Gaza. Os kits de saúde reprodutiva serão geridos por profissionais de saúde e destinam-se a suprir as necessidades dos centros de saúde afetados.

Enquanto isso, sua estima-se que o número de pessoas afetadas pode subir, o que conduz a uma sobrecarga em vários setores, principalmente o da saúde. Para enfrentar a situação, a equipa humanitária do país desenvolveu uma proposta de doação para angariar 29 milhões dólares. A proposta inclui atividades destinadas a garantir partos seguros; prevenção do HIV, violência sexual e de género; prestando apoio psicológico às mulheres vítimas de violência, e fornecendo produtos de higiene.

 Nações Unidas Moçambique |Amâncio Miguel | 08/02/2013

http://reliefweb.int/report/mozambique/un-responds-floods-mozambique


70º Aniversário da Organização das Nações Unidas

UN70 Logo Portuguese vertical 250px

Logo only Time for global action banner 253x95 Portuguese

Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária

O Centro Regional de Informação das Nações Unidas para a Europa Ocidental (UNRIC), sedeado em Bruxelas, presta informação sobre as actividades da ONU nos países da região, incluindo Portugal. Põe à disposição do público os principais relatórios da ONU, documentos, publicações, fichas informativas, comunicados de imprensa e notícias, em várias línguas, nomeadamente o português.