Terça, 30 Junho 2015
UNRIC logo - Portuguese

A ONU na sua língua

Condenação de editor na Tailândia é contrária aos Direitos Humanos, afirma a Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos

506928-rightspillayA Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos condenou a dura sentença aplicada a um editor e activista na Tailândia por publicar dois artigos considerados críticos em relação à monarquia, e ressaltou que isso coloca em risco a liberdade de expressão no país do sudeste asiático.

Somyot Pruksakasemsuk foi condenado por crimes de lesa-majestade, por ter publicado dois artigos na revista “Voz de Takshin”. Lesa-majestade é uma ofensa contra a soberania de um reinante ou contra o próprio Estado.

“A condenação extremamente dura de Somyot envia sinais errados sobre a liberdade de expressão na Tailândia”, disse a Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos, Navi Pillay. “A decisão do tribunal é a mais recente indicação de uma tendência preocupante em que as acusações de lesa-majestade são usadas para fins políticos.”

Somyot Pruksakasemsuk foi condenado a 11 anos de prisão por violação do artigo 112 do Código Penal da Tailândia, que afirma que "quem difame, insulte ou ameace o rei, a rainha, o herdeiro ou o regente, é punido com pena de prisão de três a 15 anos".

Pillay saudou e expressou seu apoio aos esforços feitos por alguns membros do Parlamento e académicos que propuseram alterações ao artigo 112 para tratar de questões relacionadas com a aplicação da lei. A Alta Comissária também expressou a sua preocupação com a duração da detenção de Pruksakasemsuk, pois depois do pré-julgamento, os pedidos de concessão de fiança foram negados 12 vezes pelos tribunais.

“Estou preocupada com o facto de os pedidos de fiança de Somyot terem sido todos negados, e por ele ter sido apresentado em tribunal em várias ocasiões usando algemas – como se fosse algum tipo de criminoso perigoso", declarou Navi Pillay. "As pessoas que exercem a liberdade de expressão não devem ser punidas, em primeiro lugar."

Em agosto, o Grupo de Trabalho da ONU sobre Detenção Arbitrária concluiu que a detenção do Somyot Pruksakasemsuk foi arbitrária e pediu que Governo tomasse todas as medidas necessárias para o libertar e compensá-lo de acordo com o
Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos, do qual a Tailândia é parte.

“Activistas, jornalistas e académicos desempenharam um papel dinâmico na promoção da cultura dos direitos humanos na Tailândia”, disse Pillay. “Isto reflecte-se positivamente na sociedade tailandesa, mas casos como o de Somyot podem reverter os importantes progressos realizados pela Tailândia”.

 

23 de Janeiro | UN News Centre

70º Aniversário da Organização das Nações Unidas

UN70 Logo Portuguese vertical 250px

Logo only Time for global action banner 253x95 Portuguese

Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária

O Centro Regional de Informação das Nações Unidas para a Europa Ocidental (UNRIC), sedeado em Bruxelas, presta informação sobre as actividades da ONU nos países da região, incluindo Portugal. Põe à disposição do público os principais relatórios da ONU, documentos, publicações, fichas informativas, comunicados de imprensa e notícias, em várias línguas, nomeadamente o português.