Segunda, 25 Maio 2015
UNRIC logo - Portuguese

A ONU na sua língua

Conselho de Segurança preocupado com a falta de progresso democrático na Guiné-Bissau

521536-securitycouncilNum comunicado de imprensa emitido ontem (13 de Dezembro), o Conselho de Segurança da ONU expressou a sua "séria preocupação" com a falta de progresso na restauração da ordem constitucional na Guiné-Bissau, observando que a estabilização só pode ser alcançada através de um processo de transição consensual, abrangente e nacional, com base no diálogo genuíno e eficaz supervisão civil sobre os militares.

Desde que conquistou a independência de Portugal, em 1974, a Guiné-Bissau tem uma história marcada por golpes de Estado, instabilidade política e má governação. No dia 12 de abril deste ano, os militares tomaram o poder dez dias antes da segunda volta das eleições presidenciais.

Em maio, o Conselho de Segurança aprovou a resolução 2048, que exigia medidas imediatas para a restauração da ordem constitucional, incluindo um processo eleitoral democrático. Entretanto, o não cumprimento dessa resolução e os relatos de incidentes recentes envolvendo mortes e graves violações de direitos humanos, bem como constantes restrições à liberdade de reunião, opinião e informação, levaram a uma nova condenação.

Incidentes recentes no país incluem um ataque a uma base militar em Bissalanca, no dia 21 de outubro, que resultou em várias mortes. Existem também relatos do aumento do tráfico de drogas desde o golpe, e de ameaças e actos de intimidação contra membros do Gabinete das Nações Unidas para a Construção da Paz na Guiné-Bissau (UNIOGBIS).

Está prevista a chegada ao país de uma missão de avaliação conjunta no dia 16 deste mês. A ONU, União Africana, Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental, Comunidade dos Países de Língua Portuguesa e União Europeia fazem parte desse acordo que irá formular recomendações sobre a melhor forma de trabalharem em conjunto para ajudar Guiné-Bissau. De acordo com a União Africana, a missão deve avaliar a situação no terreno, através da interacção exaustiva de todas as partes interessadas com vista a produzir um conjunto de recomendações. 

Esta semana, em entrevista à Rádio ONU, o Ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Paulo Portas, apelou a estas mesmas organizações internacionais para que sejam capazes de "ajudar a virar a página, para que a Guiné-Bissau tenha instituições e uma vida institucional normal e estável, por que é isso que permite a prosperidade a que qualquer ser humano tem direito".

70º Aniversário da Organização das Nações Unidas

UN70 Logo Portuguese vertical 250px

Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária

O Centro Regional de Informação das Nações Unidas para a Europa Ocidental (UNRIC), sedeado em Bruxelas, presta informação sobre as actividades da ONU nos países da região, incluindo Portugal. Põe à disposição do público os principais relatórios da ONU, documentos, publicações, fichas informativas, comunicados de imprensa e notícias, em várias línguas, nomeadamente o português.