Sexta, 31 Outubro 2014
UNRIC logo - Portuguese

A ONU na sua língua

Conferência da ONU sobre mudança climática começa em Doha com apelo para reforçar acordos existentes

cop18cmp8 533Milhares de representantes de governos, organizações internacionais e membros da sociedade civil estão reunidos na capital do Qatar, Doha para a Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas, que começou ontem, dia 26 de Novembro, com uma chamada para desenvolver e implementar as decisões previamente acordados para reduzir as emissões globais de carbono no ano de 2020. A conferência decorre até 7 de Dezembro.

"Temos uma oportunidade preciosa ao longo dos próximos dias, e temos de fazer pleno uso do mesmo", disse a Presidente da Conferência das Partes (COP 18), Abdullah bin Hamad Al-Attiyah, no dia de abertura das conversações. A reunião de dez dias reúne os 195 estados que são partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC), o tratado parente do Protocolo de Kyoto de 1997. No âmbito do Protocolo, 37 Estados - consistindo de países altamente industrializados e os países em processo de transição para uma economia de mercado - têm limitação de emissões e compromissos de redução juridicamente vinculativos. Os Delegados dos governos presentes na Conferência vão, entre outros objetivos, tentar prologar o Protocolo de Kyoto, que expira no final de 2012.

No seu discurso de abertura da conferência, a secretária executiva da UNFCCC, Christiana Figueres, destacou relatórios recentes conduzidos pela ONU que apontam para a urgência de impedir que a temperatura média global aumente para além do nível internacionalmente acordado de dois graus Célsius, além do qual a mudança climática terá grave impactos.

Uma análise publicada pelo Banco Mundial na semana passada mostra que o mundo permanece em risco de ver um aumento da temperatura de quatro graus Célsius até ao final do século. No seu Boletim Gás com Efeito de Estufa 2011, a Organização Meteorológica Mundial da ONU (OMM) disse que a concentração de gás com efeito de estufa alcançou um recorde no ano passado, enquanto que o Relatório sobre o Gap de Emissões do Programa da ONU para o Meio Ambiente (PNUMA) alerta que a diferença entre o que é necessário em termos de reduções de emissões para ficar abaixo de dois graus Célsius, e que está até agora prometido por vários países, continua a aumentar e não a diminuir.

Figueres ressaltou que os países ainda podem reverter essas tendências, se decidirem agir, uma vez que as opções de tecnologia, conhecimento e políticas necessárias para reduzir as emissões já estão disponíveis. No entanto, enfatizou, “o tempo está a esgotar-se”.

"A análise de Especialistas é consistente em dizer que temos a possibilidade de manter-nos no caminho certo e que agir agora é mais seguro e muito menos caro do que adiar", disse ela. "Nos últimos três anos, a política e a acção no sentido de um futuro sustentável, e com energia limpa, vêm crescendo mais rapidamente do que nunca. Mas a porta está a fechar-se rapidamente, porque o ritmo e a escala de ação são ainda insuficientes. Então Doha deve fazer a sua parte para encontrar a solução de longo prazo".

Durante uma reunião semelhante na cidade Sul-Africana de Durban no ano passado, 194 estados-partes da UNFCCC concordaram com um pacote de decisões - conhecida como a Plataforma de Durban - que incluem o lançamento de um protocolo ou instrumento legal que se aplica a todos os membros, um segundo período de compromisso para o Protocolo de Kyoto, e o lançamento do Fundo para o Clima Verde, que foi criado para ajudar os países em desenvolvimento a proteger-se de impactos climáticos e a construir os seus próprios futuros sustentáveis.

Durante conversas informais em Bangkok, a capital da Tailândia, em Setembro, os países também definiram objectivos específicos para a reunião em Doha, que incluem iniciar de uma nova fase para a acção climática e preencher as lacunas política internacional de resposta às alterações climáticas.

A reunião de Doha vai procurar cumprir os objectivos estabelecidos noutra reunião sobre mudanças climáticas, realizada em Bali, e planear o trabalho da Plataforma de Durban. Além disso, nesta conferência irão ser abordardas outras questões, como a desflorestação, agricultura, desenvolvimento e transferência de tecnologia.

As iniciativas climáticas nos países em desenvolvimento que melhoraram a vida dos pobres urbanos também vão ser exibidas na Conferência, bem como outras abordagens inovadoras para encontrar soluções para a mudança climática.

 

Sítio oficial da conferência: http://unfccc.int/meetings/doha_nov_2012/meeting/6815.php

 

69º Aniversário da Organização das Nações Unidas assinalado em Lisboa e Porto

UNDAY-PT

Façamos um mundo melhor

Vamos fazer do mundo um lugar melhor 

Vídeo apresentado no contexto da Cúpula do #Clima das Nações Unidas.

Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária

O Centro Regional de Informação das Nações Unidas para a Europa Ocidental (UNRIC), sedeado em Bruxelas, presta informação sobre as actividades da ONU nos países da região, incluindo Portugal. Põe à disposição do público os principais relatórios da ONU, documentos, publicações, fichas informativas, comunicados de imprensa e notícias, em várias línguas, nomeadamente o português.