Previous  Next
A manutenção da paz da ONU resulta?
 

A manutenção da paz é efectiva em termos gerais e em termos de custos, quando comparada com os custos de um conflito e o seu impacte negativo em termos de vidas e prejuízos económicos. Como um investimento, as operações de manutenção da paz dirigidas pelas Nações Unidas -- por oposição às que são conduzidas por coligações ad hoc -- têm a clara vantagem de possuir um mecanismo interno para a partilha mundial dos custos financeiros, materiais e de pessoal, segundo a investigação levada a cabo por Paul Collier e Anke Hoeffler da Oxford University (1).

Segundo os historiadores, existe uma forte correlação inversa entre o envio de operações de manutenção da paz e as baixas de guerra, ou seja, quando a manutenção da paz cresce, o número de baixas de guerra diminui, tanto a curto como a longo prazo, de acordo com dois estudos recentes elaborados, separadamente, pelo Centro de Segurança Humana da UBC (2) e a Rand Corporation (3).

A Rand Corporation analisou oito operações de manutenção da paz concluídas: no Congo Belga, Namíbia, El Salvador, Camboja, Moçambique, Eslavónia Oriental, Serra Leoa e Timor-Leste. O estudo concluiu que dois terços "tiveram êxito". Apurou ainda que a ONU proporciona o quadro institucional mais apropriado a todas as missões, com excepção das missões de construção de Estados mais complexas e de maior dimensão, devido à estrutura comparativamente pouco dispendiosa, à elevada taxa de êxito e ao elevado grau de legitimidade internacional das Nações Unidas. Segundo este estudo, a manutenção da paz da ONU é um meio muito eficiente de colocar as sociedades, após um conflito, no caminho da paz duradoura e do governo democrático, e a forma mais eficaz de intervenção internacional concebida até hoje. As alternativas às Nações Unidas neste domínio são ou muito mais onerosas ou têm uma capacidade de acção bastante menor.

Um estudo do Government Accountability Office dos Estados Unidos da América calculou que o custo que este país teria de suportar por levar a cabo uma operação de manutenção da paz semelhante à Missão de Estabilização da ONU no Haiti (MINUSTAH) seria duas vezes superior ao desta -- 876 milhões de dólares em comparação com os 428 milhões orçamentados pelas Nações Unidas para os primeiros 14 meses da missão.(4) Entre outras vantagens comparativas da manutenção da paz da ONU citadas pelo estudo figuram o seu carácter multinacional, que assegura imparcialidade e legitimidade, funcionários com experiência em operações de consolidação da paz em situações pós-conflito e uma estrutura para coordenar a assistência internacional.


(1) Paul Collier e Anke Hoeffler, "The Challenge of Reducing the Global Incidence of Civil War", Centro para o Estudo das Economias Africanas, Departamento de Economia, Oxford University, Março de 2004.
(2) Human Security Report 2005, "War and Peace in the 21st Century", Human Security Centre, University of the British Columbia, Canadá, 2005.
(3) James Dobbins et al, "The UN's role in Nation-Building: from the Congo to Iraq", Rand Publications, 2005.
(4) "Peacekeeping: Cost Comparison of Actual UN and Hypothetical U.S. Operations in Haiti", United States Government Accountability Office, Report to the Subcommittee on Oversight and Investigations, Comité de Relações Internacionais, Câmara de Representantes, GAO-06-311, Fevereiro de 2006.