Previous  Next
O que se está a fazer em relação ao tráfico de pessoas
nas zonas de operações de manutenção da paz?
 

O tráfico de seres humanos pode crescer numa situação pós-conflito e os traficantes podem ver nos milhares de soldados enviados para o terreno um mercado potencial. O tráfico é ilegal e contrário aos princípios das Nações Unidas, podendo comprometer a viabilidade de aspectos essenciais de um processo de paz, como a reforma da polícia e a implementação de mandatos relacionados com o estado de direito.

A ONU está a trabalhar no sentido de impedir que os capacetes azuis sejam usados pelos traficantes como um mercado potencial, e está empenhada em ter um papel importante de apoio ao combate ao tráfico de pessoas nas zonas abrangidas pela missão. Estão a ser realizados programas de sensibilização destinados a pessoal militar e civil integrado em missões novas e em missões em curso, e está ainda a ser criado material de formação específico. Entre outras ferramentas referem-se orientações relativas à detecção e identificação de actividades desta natureza e legislação-tipo para planos de acção nacionais. A participação de pessoal das missões de manutenção da paz no tráfico de seres humanos ou em qualquer outro tipo de abuso ou exploração sexual constitui uma falta grave e é passível de medidas disciplinares.

A polícia das Nações Unidas no Kosovo, por exemplo, criou uma unidade contra o tráfico de seres humanos, em 2001, abriu um refúgio para as vítimas e repatria o pessoa da ONU que sejam clientes de empresas suspeitas de envolvimento no tráfico de pessoas.